Brasileirão, Esportes

Corinthians descarta reforços caros e não banca permanência de técnico

Presidente não banca permanência de técnico do Corinthians
Sanchez: “não vou fazer
loucura novamente”. Foto: Folhapress

O presidente do Corinthians, Andrés Sanchez, reconheceu que precisa buscar jogadores de peso para reforçar o elenco alvinegro, mas descartou contratar nomes com salários considerados altos.

“Volto a repetir para o torcedor: não vou pagar R$ 700 mil, R$ 800 mil, R$ 900 mil de salário. Há três, quatro clubes brasileiros pagando esses valores. Eu não vou fazer essa loucura novamente”, disse Sanchez.

“Nosso teto é o de Cássio, Fagner e Jadson, que são jogadores de seleção”, acrescentou o dirigente. Os atletas citados por Andrés ganham pouco mais de R$ 400 mil por mês do clube.

O cartola afirmou, ainda, que a diretoria vai ser muito criteriosa em suas contratações para 2019. “Não podemos errar. Precisamos de jogadores mais prontos.” Na visão do presidente do Corinthians, o atual elenco alvinegro não deve muito aos demais do país.

“Jogador por jogador, estamos perdendo para dois ou três times no Brasil, mas não vou citar quais”, afirmou Andrés Sanchez. “Temos um time com média de 23 anos, que precisa ter maturação”, ponderou o cartola.

TREINADOR

Jair Ventura tem a reta final do Campeonato Brasileiro para convencer a diretoria do Corinthians a mantê-lo no cargo na próxima temporada. O treinador tem contrato com o clube até o final de 2019, mas seu baixo rendimento não deixa Andrés Sanchez seguro para bancar a permanência.

“Garantido nem eu estou, tem um monte de presidentes sofrendo impeachment, mas não é justo falar do Jair agora. Sabemos que tivemos problemas. Fora os erros de arbitragem, tivemos nossos erros também”, comentou o mandatário corintiano.

“Nosso time não está bem, temos seis jogos para nos recuperar. Não vamos ser campeões, mas vamos trabalhar para sair dessa situação”, acrescentou o presidente.

À frente do Corinthians, Jair Ventura acumula 13 partidas, com apenas três vitórias, quatro empates e seis derrotas. O time fez dez gols e sofreu 15, com aproveitamento de apenas 33%. Osmar Loss, seu antecessor, deixou o alvinegro com 42%.

“Os números são baixos, Jair sabe que está mal. Lógico que é ruim. Ruim para ele, para mim… Todo mundo tem culpa”, disse Andrés.

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*