Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

Obras avançam e Bom Prato de São Bernardo deve ser entregue em novembro

Dentro do cronograma, obra do Bom Prato avança em São Bernardo
Morando vistoriou as obras do restaurante popular, que vai oferecer 1,8 mil refeições diariamente a custo de até R$ 1, será entregue à população no final de novembro. Foto: Ricardo Cassin/PMSBC

O prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, vistoriou nesta quarta-feira (17) as obras de implantação da primeira unidade do programa de segurança alimentar do governo estadual, denominado Bom Prato, no município. O restaurante já está em cerca de 30% de construção em área de 650 mil m² ociosa, anexa ao Poupatempo, na região central. A previsão é que o espaço seja aberto à população no final de novembro próximo, após três meses de obras.

A visita do chefe do Executivo ao local marcou a superação da etapa de infraestrutura, considerada a de maior complexidade da construção. “Agora, a obra começará a ganhar corpo e, ainda neste ano, quem está esperando há tanto tempo pelo restaurante Bom Prato vai ter a oportunidade de se alimentar por um preço justo. Viemos hoje justamente mostrar que esta obra está andando”, destacou Morando.

Quando concluída, a unidade terá capacidade para oferecer 1,8 mil refeições diariamente, sendo 1,5 mil almoços, por R$ 1, e 300 cafés da manhã, a custo de R$ 0,50. Crianças de até seis anos de idade terão a refeição gratuita. O programa garante alimento de qualidade e balanceado, com controle do Instituto de Tecnologia de Alimentos (Ital). A unidade de São Bernardo funcionará de segunda à sexta-feira, das 7h às 9h, no café da manhã e a partir das 10h30 no almoço.

Ao todo, estão sendo investidos R$ 4,1 milhões no local – sendo R$ 2,2 milhões do Estado (R$ 1 milhão para implantação do restaurante e R$ 1,2 milhão para custeio de refeições ao longo de dez meses) e outros R$ 1,9 milhão de contrapartida do município. O Bom Prato foi criado em dezembro do ano 2000 e já conta com 52 unidades em funcionamento, sendo 22 localizadas na Capital, nove na Grande São Paulo, seis no litoral e 15 no interior.

A inspeção também foi feita pelo vice-prefeito, Marcelo Lima, pelos secretários Luciano Eber (Obras), Hiroyuki Minami (Desenvolvimento Econômico, Ciência, Tecnologia, Trabalho e Turismo), além de Carlos Romero, respondendo pela pasta de Assistência Social, e do presidente do Centro Regional de Atenção aos Maus Tratos na Infância do ABCD (Crami), entidade vencedora de chamamento público para gerenciamento do espaço, Evenson Robles Dotto.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*