Esportes, Futebol

Modric põe fim a domínio de Cristiano Ronaldo e Messi

Modric põe fim a domínio de Cristiano Ronaldo e Messi
Modric e Marta foram laureados durante evento realizado em Londres

O croata Luka Modric, 33 anos, quebrou o duopólio de Cristiano Ronaldo e Lionel Messi no prêmio de melhor do mundo da Fifa. Depois de ter sido escolhido o melhor da última Copa do Mundo, o meia derrotou o português e o egípcio Mohamed Salah, os outros dois finalistas.

Desde 2008, os vencedores do prêmio foram sempre Cristiano Ronaldo ou Lionel Messi. Cada um ganhou cinco ve­zes, e o português havia sido o eleito nas duas últimas temporadas. Nova vitória faria o atacante da Juventus igualar o número de troféus de Marta, premiada minutos antes.

Esta foi a primeira vez, desde 2006, que um jogador que não é atacante ou meia-a­tacante foi escolhido como me­lhor do mundo. Naquele ano, o zagueiro italiano Fabio Cannavaro ganhou. Esta também foi a primeira vez que um croata ficou com o troféu.

Além de ter vencido a Liga dos Campeões com o Real Ma­drid, Modric foi eleito pe­la campanha no Mundial, quando foi o principal nome da Croácia, que chegou à final, sendo derrotada pela França por 4 a 2.

Cristiano Ronaldo, ex-com­panheiro de Modric no Real Madrid, não compareceu à fes­ta. O motivo da ausência não foi confirmado, mas dessa forma CR7 repetiu o que fez Lionel Messi no ano passado.

Pela primeira vez desde 2006, Messi não entrou na lista de finalistas para o prêmio, resultado que pode ser atribuído à derrota do Barcelona nas quartas de final da última Liga e à campanha ruim da Argentina na Copa. A seleção foi eli­minada nas oitavas de final.

Salah levou como consolação o Prêmio Puskas de gol mais bonito da temporada, marcado contra o Everton.

O egípcio superou gols de bi­cicleta marcados por Cristiano Ronaldo e Gareth Bale e a finalização de Messi contra a Nigéria, no Mundial. O futebol brasileiro participava com o gol do uruguaio De Arrascaeta, jogando pelo Cruzeiro.

Se a escolha de Salah foi surpreendente, o mesmo não pode ser dito da premiação de melhor técnico do ano.

Didier Deschamps, cam­peão do mundo com a França, foi o escolhido e recebeu o troféu das mãos de outro francês: Arséne Wenger, que foi treinador do Arsenal-ING durante 22 anos e deixou o clube ao fim da última temporada.

O goleiro Thibaut Courtois foi escolhido o melhor do ano também pelas atuações da seleção belga na Rússia. Depois, trocou o Chelsea pelo Real.

O brasileiro Jackson Follmann, sobrevivente do acidente da Chapecoense, anunciou o nome de Courtois, ao lado do ex-goleiro holandês Van der Sar.

A Fifa também anunciou na cerimônia o Fifa Pro de 2018, como é chamada a seleção do ano para a entidade, o que mos­trou inconsistências.

Finalista na premiação de melhor do ano, Salah não entrou na equipe dos 11 ideais. Courtois foi o principal goleiro da temporada, mas o escolhido no Fifa Pro foi o espanhol David De Gea. A escalação escolhi­da, com dois brasileiros, foi: De Gea; Daniel Alves, Varane, Sergio Ramos, Marcelo; Modric, Kanté, Hazard; Messi, Mbappé e Cristiano Ronaldo.

 

Pioneira, Marta ganha prêmio de melhor do mundo pela sexta vez

A brasileira Marta, 32 anos, conquistou nesta segunda-feira (24) o prêmio de melhor jogadora de futebol do mundo pela Fifa. Esse é o sexto prêmio da atleta, que havia faturado a condecoração de forma consecutiva de 2006 a 2010.

“Realmente estou sem palavras, pois é um momento fantástico. As pessoas falam: ‘você já foi (vencedora) tantas vezes e se emociona sempre’. Sim, faço isso porque representa muito para mim”, afirmou Marta, emocionada, durante o seu discurso após a premiação.

Marta é também a primeira estrela do futebol mundial a conquistar seis vezes a honraria da Fifa. Entre os homens, Lionel Messi e Cristiano Ronaldo estão empatados, com cinco troféus cada um.

 

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*