Editorias, Notícias, Política

Bolsonaro é submetido a cirurgia de emergência em São Paulo

Bolsonaro é submetido a cirurgia de emergência em São Paulo
Bolsonaro foi esfaqueado durante um ato de campanha na última quinta-feira (6), em Juiz de Fora. Foto: Arquivo/Raysa Leite/Folhapress

O presidenciável Jair Bolsonaro (PSL) foi submetido a cirurgia de emergência na noite desta quarta-feira (12) no Hospital Albert Einstein, em São Paulo. A informação foi confirmada à reportagem pelo presidente da UDR (União Democrática Ruralista), Nabhan Garcia, que é amigo e apoiador de Bolsonaro e está no hospital com o deputado. “Tecnicamente não sei o por quê, mas ele teve de ser submetido a uma cirurgia porque não passou bem ontem (terça-feira), e nem hoje (quarta/12)”, disse Garcia.

De acordo com boletim médico divulgado  pelo Hospital Albert Einstein, Bolsonaro teve uma aderência, obs­truindo o intestino delgado. O hospital informou que o candidato teve náuseas e foi submetido a uma tomografia. O resultado levou a equipe médica a submetê-lo a nova cirurgia, conduzida pelo médico Antônio Macedo.

O quadro clínico do capitão reformado piorou na manhã desta quarta, quando foi reintroduzida a alimentação venosa após ele ter reagido mal à tentativa de reiniciar o trânsito intestinal com o consumo de sólidos.
Os médicos decidiram pela operação quando ficou claro que o quadro evoluiu para ou uma obstrução completa do intestino delgado ou para o risco de necrose de partes do órgão. São decorrências comuns em casos assim, e graves.

A cirurgia foi concluída com sucesso pouco antes das 23h50. Segundo a Folha, foram retiradas aderências que obstruíram o intestino delgado, e corrigida uma fístula surgida em uma das suturas feitas na cirurgia inicial, do dia do ataque.

Segundo Gustavo Bebianno, presidente do PSL e advogado de Bolsonaro, “o capitão não passou bem à noite, teve muitas náuseas, chegou a vomitar, teve muita distensão abdominal. Passou 24 horas agonizando.”

O procedimento foi  considerado delicado porque Bolsonaro teve de passar por a nova anestesia geral em um momento em que ainda se encontra debilitado.

O deputado estadual Flavio Bolsonaro (PSL-RJ), filho do presidenciável, usou as redes sociais para se pronunciar sobre o estado de saúde do pai e pediu orações. “Meu pai está fazendo uma nova cirurgia agora, peço que continuem as orações, o estado dele ainda é grave.”, escreveu nas redes sociais.

Mensagens de pedido de apoio foram publicadas por outros dois filhos do capitão reformado: Renan Bolsonaro e o deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP).

ENTENDA A CIRURGIA

A aderência ocorre quando dois tecidos do corpo grudam, formando uma espécie de cicatriz. Acontece como resposta do organismo a fatores como cirurgia ou processo inflamatório.

Segundo médicos ouvidos pela reportagem, a cirurgia (laparotomia) a que Bolsonaro foi submetido tem a finalidade de desgrudar esses tecidos para restabelecer o trânsito intestinal.

Após soltar as alças intestinais, os cirurgiões devem fazer uma lavagem de toda a cavidade abdominal e observar se o intestino volta a funcionar. Às vezes, a movimentação intestinal já começa a acontecer ainda durante a cirurgia.

De acordo com especialistas, aderências e abcessos podem acontecer em casos como o de Bolsonaro por conta do alto risco de infecções provocado pelas fezes que caíram na cavidade abdominal pós a perfuração do intestino.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*