Economia, Notícias

Receita Federal estuda fechar posto de atendimento em São Bernardo

Receita Federal estuda fechar posto de atendimento em São Bernardo
Delegacia da Receita funciona na Rua Marechal Deodoro. Foto: Anderson Amaral/Especial para o DR

A superintendência da Re­ceita Federal no Estado de São Paulo estuda fechar de­legacia do fisco nacional em São Bernardo, uma das três situadas no ABC. A ideia é fundi-la com a unidade de Santo André.

O motivo é financeiro. O fisco alega ter perdido parte dos recursos destinados à Se­cretaria da Receita Federal no or­çamento da União.

Pelo mesma razão foram fechadas, em 2016, as dele­gacias de Diadema e Mauá.

A possibilidade de fechamento da delegacia – locali­zada na Rua Marechal Deo­doro – motivou a realização, na quarta-feira (8), de evento na Associação Comercial e Industrial de São Bernardo (Acisbec), que encabeça mo­vimento contra a fusão.

Procurada pela reportagem, a superintendência da Re­ceita Federal da 8ª Região Fiscal, que corresponde ao Estado de São Paulo, informou por meio de nota que realiza “estudos e análises em relação à fusão das delegacias de Santo André e de São Bernardo”.

O texto diz ainda que, por enquanto, não existe decisão sobre mudança nas delegacias e que qualquer alteração será oportunamente divulgada.

“Caso ocorram mudanças, serão implementadas somen­te a partir de 2019. Saliente-se ainda que, independentemente da decisão que venha a ser tomada, não haverá impacto no atendimento ao público realizado em ambos os muni­cípios”, conclui a nota.

O delegado sindical regio­nal do Sindicato Nacional dos Analistas Tributários da Receita Federal (Sindireceita), José Carlos Chaves Fernandes, confirmou a informação e disse que a fusão está sendo discutida na esfera administrativa.

A reportagem apurou que o clima na delegacia é de apreensão e que, nos últimos dias, várias reuniões têm sido reali­zadas – inclusive ontem – com objetivo de avaliar a mudança.

A superintendência não soube informar quantos aten­dimentos são realizados diariamente na delegacia, que concentra as demandas de São Bernardo e Diadema.

ATENDIMENTO

O presidente da Acisbec, Valter Moura, disse que o objetivo da reunião era informar a socie­dade sobre a intenção ma­­ni­festada pela Re­ceita. “Precisamos valori­zar a op­ção que proporciona melhor atendimento à popu­lação. Além disso, a perma­nência se justifica pelo tamanho da cidade, a maior do ABC, com quase um milhão de habitantes”, argumentou.

No ano passado, a delegacia administrou R$ 10,458 bilhões em impostos federais arrecadados em São Bernardo e Dia­dema, recolhidos por meio de Documento de Arrecadação de Receitas Federais (Darf) e Guia da Previdência Social (GPS).

“Uma decisão não pode ser impositiva, traumática. Temos de mostrar a importância da cidade, mas também da região. É fundamental manter as duas delegacias, a daqui e a de Santo André”, afirmou o prefeito de São Bernardo e presidente do Consórcio Intermunicipal, Or­lando Morando (PSDB).

 

Deixe uma resposta