Economia, Notícias

Atuação política marca 30 anos de atividades da ACIGABC

Atuação política marca 30 anos  de atividades da ACIGABC
Sede da ACIGABC, em São Bernardo: convênio assinado em 2001 tornou regional a entidade. Foto: Divulgação

Com festa a ser realizada em famoso bufê de São Ber­­nardo, a Associação de Cons­­trutores, Imobiliárias e Ad­mi­­­­nis­­tradoras do ABC (ACIGABC) co­me­mo­ra, hoje (9), 30 anos de atua­ção.

Tudo começou com um gru­po de construtores de São Bernardo indignados com uma mudança no Plano Diretor da cidade que seria prejudicial ao setor. A mobilização deu certo, e a mudança na lei foi revista.

Foi daí que surgiu a ideia da criação da então Associação dos Construtores e Incorporadores de São Bernardo. Em 2001, a entidade firmou convênio o Sindicato da Ha­bi­tação do Estado de São Pau­lo, tornou-se uma das oito regio­nais do Secovi-SP e expandiu sua atuação para os demais seis municípios da região.

“Começamos em uma pe­quena sa­la alugada de 30 m² na Rua Basílio Machado. Atual­mente, a ACIGABC tem sede própria, credibilidade, força e é bem enraizada”, comentou o presidente da entidade, Marcus Santagui­ta. Seu pai, Wagner Santagui­ta (morto em 1992), foi um dos fundadores.

Ao recordar o episódio de 1988, Santaguita des­tacou que a atuação política na de­fesa dos interesses do setor tem sido a principal marca da associação nesses 30 anos. Porém, o diálogo – e não o enfrentamento – tem caracteri­zado a relação com o poder público.

“Ao longo de sua história, a ACIGABC conse­guiu dialo­gar com todas as prefeituras. Evidentemente, nem todas as demandas foram atendidas, mas a gente se coloca ao lado da administração para resolver o problema e chegar a um bom termo”, destacou o presidente da entidade.

Recentemente, a associação posicionou-se contraria­mente ao reajuste, em Santo André, da Planta Genérica de Valores (PGV), base de cálculo do Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). Após forte pressão da sociedade, o aumento acabou cancelado.

A ACIGABC também tem dialogado com a Prefeitura de Mauá no sentido de revisar o Termo de Compensação Ur­banística (TCU), criado no ano passado, que sobretaxa as construções na cidade.

A entidade participa, ain­da, de discussões com a Prefeitura de São Bernardo sobre a revisão no Plano Diretor e na Lei de Uso e Ocupação do Solo da cidade.

Presidente da associação desde o início de 2016, Santaguita destaca como principais conquistas de sua gestão a retomada do tradicional Salão do Imóvel do ABC, a revisão na metodologia da pesquisa sobre o mercado imobiliário e a descentralização das reu­niões da entidade. “O objetivo é acabar de vez com o estigma, que ainda persiste, de que a ACIGABC é uma entidade de São Bernardo”, afirmou.
n SERVIÇOS

Atualmente, a entidade ofere­ce consultorias técnica, jurídica e na área de seguros, entre outros servi­ços, a seus cerca de 120 associados. Santaguita também des­taca a realização da pesquisa imobiliária, cujos resultados balizam a tomada de decisão das empresas do setor da construção civil no ABC.

Deixe uma resposta