Copa do mundo, Esportes

Brasil perde da Bélgica e é eliminado da Copa do Mundo

Brasil perde da Bélgica por 2 a 1 e está eliminado da Copa
Neymar teve atuação abaixo do esperado na Copa do Mundo. Foto: Thiago Bernardes/FramePhoto/Folhapress

A seleção brasileira está fora da Copa do Mundo da Rússia. A consistência defensiva que caracterizou a “era Tite” desta vez não funcionou e, com péssima atuação no primeiro tempo, o Brasil perdeu para a Bélgica por 2 a 1 nesta sexta-feira (6), em Kazan, em partida das quartas de final da Mundial.

De Bruyne, Hazard e Lukaku destruíram a seleção brasileira em 45 minutos e garantiram a classificação belga, que chega pela segunda vez às semifinais de uma Copa do Mundo – a primeira ocorreu em 1986. O Brasil reagiu no segundo tempo, mas não conseguiu evitar a eliminação.

Fernandinho (contra) e De Bruyne, ambos no primeiro tempo, fizeram os gols belgas, enquanto Renato Augusto descontou na segunda etapa para os brasileiros, que agora acumulam quatro eliminações seguidas em Mundiais, as quatro para times europeus.

Na próxima terça-feira (10), às 15h, em São Petersburgo, a “geração de ouro” belga terá pela frente a França, que derrotou o Uruguai por 2 a 0, também nesta sexta-feira, em Nijni Novgorod.

Foi o segundo revés em Copas de Neymar, que chegou à Rússia após se recuperar de lesão no pé direito, que o tirou dos gramados por três meses. O camisa 10 vivia a expectativa de ser protagonista, mas rendeu abaixo do que se esperava e chamou a atenção mais por supostas simulações do que pelo bom futebol.

A derrota representa também o fracasso da “era Tite”, que chegou à seleção como unanimidade em 2016 e fez extraordinária campanha de recuperação nas Eliminatórias, mas acabou eliminado nas quartas de final, assim como seu antecessor Dunga – que, em 2010, caiu na mesma etapa da competição.

O JOGO

Mostrando respeito ao time brasileiro, a Bélgica trouxe para o jogo duas alterações. Felaini entrou no meio-campo no lugar do atacante Mertens para formar dupla de volantes com Witsel e reforçar a marcação, liberando De Bruyne para jogar mais próximo da área. Além disso, Carrasco deu lugar a Chadli na ala esquerda. Ambos entraram bem e fizeram gols na vitória de virada sobre o Japão por 3 a 2.

O Brasil chegou pela primeira vez aos sete minutos. Neymar cobrou escanteio, o zagueiro Thiago Silva desviou na pequena área e a bola bateu na trave.

Quando era melhor, a seleção brasileira voltou a falhar na bola aérea. Aos 13 minutos, a Bélgica cobrou escanteio pelo lado esquerdo e Kompany saltou, mas não desviou. Fernandinho tentou cortar e desviou para a própria meta. O único gol que a equipe tomara até então, contra a Suécia, também saíra de um corner.

Pela primeira vez na Copa do Mundo da Rússia, o time de Tite saia atrás no marcador.

Com o gol, a Bélgica recuou para contra-atacar, mas o Brasil conseguiu finalizar. Foi assim, aos 18 e 25 minutos, em chutes de média distância de Coutinho e Marcelo, que exigiram boas defesas de Courtois.

Porém, o Brasil dava espaços na intermediária, e o contra-ataque belga funcionou. Aos 31 minutos, Lukaku arrancou pelo meio e serviu De Bruyne, que chutou da entrada da grande área no canto direito de Alisson. Era a primeira vez que, sob o comando de Tite, o Brasil tomava dois gols no mesmo jogo.

Desorganizado, o Brasil chegou duas vezes aos 36 minutos. Marcelo recebeu de Neymar e cruzou. A bola bateu em Meunier e Courtois espalmou. Na sequência, Coutinho arriscou de longe e Courtois fez a defesa.

Porém, com a marcação brasileira sempre muito frouxa, a Bélgica era mais perigosa, principalmente pelo lado esquerdo de seu ataque, com Hazard levando a melhor sobre Fagner. Pelo meio, Fernandinho – substituto de Casemiro, suspenso – pareceu sentir o gol contra e deu muitos espaços para De Bruyne, que passeou no setor. Aos 40 minutos, De Bruyne arriscou de longe e exigiu de Alisson bela defesa.

O Brasil teve mais posse de bola (55%) e chutou mais vezes a gol (10 a 7), mas foi para o intervalo com derrota por 2 a 0.

Tite voltou para o segundo tempo com Roberto Firmino no lugar do apagado Willian. Gabriel Jesus se posicionou pelo lado direito, por onde atuava o jogador do Chelsea, e Firmino pelo meio.

O time melhorou e começou a amassar a Bélgica em seu campo. Aos dez minutos, Gabriel Jesus fez boa jogada pela direita e colocou a bola entra as pernas de Kompany, que chegou de carrinho. Jesus caiu e a bola foi para a linha de fundo. O árbitro sérvio Milorad Masic consultou o VAR e mandou o jogo seguir.

Foi o último lance de Jesus, que deixou o campo para a entrada de Douglas Costa. Com Neymar pouco inspirado, a seleção brasileira manteve a pressão, mas não finalizava. Os belgas congestionavam a entrada da área e, quando recuperavam a bola, saiam rapidamente em contra-ataque.

Foi assim, aos 16 minutos, que os “Diabos Vermelhos” quase fizeram o terceiro gol com De Bruyne, em jogada que começou no passe errado de Fernandinho.

Em sua última tentativa de mexer no time, Tite tirou o apagado Paulinho e colocou Renato Augusto em campo. A alteração funcionou. Aos 30 minutos, Coutinho fez belo lançamento para a área, o ex-corintiano infiltrou-se pelo meio e, de cabeça, finalmente venceu Courtois.

O gol animou o time brasileiro, que quase chegou ao empate aos 35 minutos, novamente com Renato Augusto. O camisa 8 recebeu grande passe de Coutinho pelo meio e arriscou da entrada da grande área, mas a bola passou à direita do goleiro belga.

Aos 38, em um dos raros contra-ataques que a Bélgica permitiu ao time brasileiro, Neymar avançou pela esquerda e serviu Coutinho, que chutou sobre o gol belga.

A pressão seguiu até o final, mais na base do desespero do que da organização. Mesmo assim, o Brasil ainda teve uma chance de empatar aos 48. Fagner fez boa jogada pela direita e tocou para Douglas Costa, que serviu Neymar. O camisa 10 bateu de primeira, mas Courtois se esticou todo e espalmou pela linha de fundo. Foi o último suspiro brasileiro na Copa do Mundo da Rússia.

 

BRASIL 1 X 2 BÉLGICA

Gols: Fernandinho (contra), aos 12, e De Bruyne, aos 30 do primeiro tempo. Renato Augusto, aos 30 da  segunda etapa. Árbitro: Milorad Mazic. Estádio: Arena Kazan, em Kazan, nesta sexta-feira.

BRASIL

Alisson; Fagner, Thiago Silva, Miranda, Marcelo; Fernandinho, Paulinho (Renato Augusto), Philippe Coutinho; Willian (Firmino), Neymar, Gabriel Jesus (Douglas Costa). Técnico: Tite.

BÉLGICA

Courtois; Meunier, Alderweireld, Kompany, Vertonghen; Witsel, Fellaini, De Bruyne; Chadli (Vermaelen), Hazard, Lukaku (Tielemans). Técnico: Roberto Martínez.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*