Uncategorized

Quatro são indiciados por morte de jovem eletrocutado no Carnaval

Dois funcionários da empresa Dream Factory e dois da GWA Eventos foram indiciados pela Polícia Civil pela morte do estudante universitário Lucas Antônio Lacerda da Silva, de 22 anos.

O rapaz foi eletrocutado em 4 de fevereiro deste ano ao encostar em um poste na esquina das ruas da Consolação e Matias Aires (região central da cidade), durante a passagem de um bloco carnavalesco pelo local.
O delegado titular do 4º DP (Consolação), Júlio Cesar Geraldo, informou que as quatro pessoas foram indiciadas por homicídio culposo, quando não há intenção de matar.

Lucas foi eletrocutado ao encostar em um poste de responsabilidade da CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) onde duas câmeras foram instaladas pela GWA Systems, que é terceirizada da Dream Factory.
O estudante era da cidade de Cardoso (558 km de SP) e vivia desde 2015 na Grande São Paulo, onde cursava a faculdade de Engenharia Biomédica na Universidade Federal do ABC.

As duas empresas disseram na ocasião do incidente que tinham autorização da então gestão João Doria (PSDB) para a execução do serviço de instalação no local. Já a prefeitura afirmou à época que a instalação foi irregular.

A Dream Factory afirmou que recebeu “com indignação” a informação sobre o indiciamento dos dois funcionários e que está à disposição das autoridades.

“Reforçamos que todas as medidas estão sendo tomadas para que a verdade volte a prevalecer na presente investigação”, diz trecho de nota enviada. A GWA Systems foi procurada, mas não respondeu aos questionamentos da reportagem.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*