Economia, Notícias

Trabalhadores da Mercedes em S.Bernardo entram em greve por reajuste salarial e PLR

Trabalhadores da Mercedes em S.Bernardo entram em greve por reajuste salarial e PLR
Com a greve, trabalhadores esperam que a Mercedes-Benz melhore proposta. Foto: Edu Guimarães/SMABC

Cerca de 8 mil trabalhadores da Mercedes-Benz, em São Bernardo, entraram em greve ontem (14) por tempo indeterminado. O Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, que representa a categoria, alega que as negociações da campanha salarial deste ano não avançarem em relação ao valor da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) e à reposição salarial.

Segundo o sindicato, não houve produção na unidade e 99% da fábrica parou. Apenas as áreas essenciais não aderiram ao movimento.
As negociações de data-base foram iniciadas em abril. A entidade explicou que a Mercedes-Benz quer transformar a reposição salarial em abono, sem incorporação ao salário. Além disso, há divergência no cálculo da PLR.

“A empresa não aceita incorporar o reajuste aos salários e este é um dos pontos principais que emperram a negociação. Também reivindicamos que o cálculo da PLR leve em conta a exportação de itens agregados (motor, câmbio e eixos)”, explicou o secretário-geral do sindicato e funcionário da Mercedes-Benz, Aroaldo Oliveira.

O sindicalista disse ainda que a greve também é moti­vada pelo plano da monta­dora de demitir trabalha­do­res mensalistas. “Não po­­­de­mos aceitar demissões em um momento de retoma­da da produção”, destacou Oliveira.

Também há divergências em relação às cláusulas sociais do acordo coletivo. A montadora quer excluir a estabilidade ao trabalhador acidentado e a complementação por até 120 dias de afastamento para que o auxílio-doença recebido pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) chegue ao mesmo valor do salário.

Procurada, a Mercedes-Benz não se pronunciou sobre a decisão da greve.

O sindicato defende a inclusão, no acordo coletivo, de cláusula de salvaguarda contra a Reforma Trabalhista, a qual garantiria que qualquer alteração prevista na nova legislação só possa ser implementada após negociação com a entidade.

Na semana passada, os trabalhadores iniciaram uma série de mobilizações internas, com paradas e passeatas, para pressionar a negociação.

Os trabalhadores vão realizar nova assembleia hoje, às 7h30, na portaria principal da empresa, para avaliar o movimento e decidir se mantêm a paralisação.

Mercado

De janeiro a abril, a Mercedes-Benz licenciou 5.770 caminhões e 2.217 ônibus no país, totalizando 7.987 veículos. O volume é 56,1% superior as 5.117 unidades emplacadas no mesmo período do ano passado, segundo dados da Associação Nacional dos Fabricantes de Veículos Automotores (Anfavea).

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*