Últimas notícias

França diz atuar por aliança entre Alckmin e Barbosa para Planalto

O governador de São Paulo, Márcio França (PSB), defendeu a formação de uma chapa entre Geraldo Alckmin (PSDB), de quem é sucessor, e o ex-ministro do STF Joaquim Barbosa (PSB) para a Presidência.

Nesta segunda (16), França, que disse ter se encontrado com Barbosa apenas uma vez, sugeriu a formação da aliança até julho, em “regime de conciliação”. Alckmin é o mais preparado para o Planalto, sustentou.

“O fato de Barbosa colocar o nome à disposição do partido é uma honra para nós. Agora, decidir se vai ser candidato a presidente ou a vice é uma coisa que a gente vai fazer mais à frente, de acordo com o andar da carruagem”, afirmou, após evento no Ministério Público de SP.

À Rádio Bandeirantes, o governador afirmou que “seria uma grande chapa, fabulosa. Juntaria uma pouco da novidade, a altivez, altitude moral do Barbosa -que não é um político, mas é muito querido- com Alckmin.”

Barbosa aparece no Datafolha com até 10% das intenções de voto e o tucano , 8% -ele não se destaca nem em São Paulo, sua base eleitoral.
França disse que “parece injusto”. “Convivi com esse moço por sete anos e posso garantir que nunca convivi com alguém tão idôneo. Gostaria muito que SP reconhecesse Alckmin como o melhor candidato”, afirmou à rádio.

Sobre a possibilidade de o ex-prefeito João Doria (PSDB) tentar se colocar como candidato à Presidência, França voltou a dizer que seu adversário na disputa pelo governo do estado não tem palavra. “Quem não tem palavra pode tudo”, disse.

Segundo França, a especulação prejudica Alckmin. Chamado por Doria de Márcio Cuba, o governador chamou a atitude de criancice e disse não ter problemas com ele, mas com o fato de não ter cumprido o mandato.

Durante a tarde, França participou da cerimônia que reconduziu Gianpaolo Smanio como procurador-geral do estado. Classificou pesquisa Datafolha que o colocou com 8% das intenções de voto como um “excelente começo”.

“Se você levar em consideração que eu tinha 3% no último Datafolha, eu cresci mais de 200%, e o principal é que só 9% do estado me conhece. Se só 9% me conhece e 8% vota em mim, é porque eu estou com poucos inimigos, poucos adversários”, riu.

“Mais cedo ou mais tarde as pessoas vão acabar querendo saber quem é Márcio França”, acrescentou, ao ser questionado como trabalharia para aumentar o conhecimento da população a respeito do seu nome.

 

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*