Editorias, Notícias, Política

Após deixar prefeitura, Doria lidera disputa pelo Governo de São Paulo

Após deixar prefeitura, Doria lidera disputa pelo Governo de São Paulo
João Doria alcança intenções de voto mais altas entre os homens, 35%. Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

Pesquisa Datafolha mostra o ex-prefeito de São Paulo João Doria (PSDB) na liderança em dois cenários eleitorais pesquisados para a eleição de governador do Estado de São Paulo. Os cenários foram elaborados a partir de nomes que circulam na mídia como potenciais candidatos.

No primeiro cenário, com sete candidatos, Doria tem 29% das intenções de votos, Paulo Skaf (MDB), 20%, Márcio França (PSB), 8%; Luiz Marinho (PT), 7%, Rogério Chequer (NOVO), 2%. Com 1%, cada um estão Alexandre Zeitune (REDE) e Lisete Arelaro (PSOL). Brancos e nulos somaram 26% e indecisos 5%.

Doria alcança intenções de voto mais altas entre os homens, 35%; entre os mais ricos, 39%; e entre os que aprovam o governo Alckmin, 38%. Na Capital paulista, a intenção de voto no ex-prefeito recua para 24%.

No segundo cenário, sem a presença de Skaf, Doria amplia sua vantagem e sobe para 36%, França alcança 10%, Marinho, 9%, Chequer, 3%, e com 2%, cada um, Arelaro e Zeitune. Brancos e nulos totalizam 32% e indecisos 6%.

O tucano alcança intenções de voto mais altas entre os homens, 42%; entre os mais ricos, 42%; e entre os que aprovam o governo Alckmin, 49%. Na Capital paulista, a intenção de voto no ex-prefeito recua para 27%.

Na pergunta espontânea, quando não são apresentados os nomes dos possíveis candidatos, 62% dos paulistas não souberam apontar nenhum nome. Doria e Alckmin lideram as intenções de voto, com respectivamente 6% e 4%. Marcio França e Luiz Marinho foram lembrados, cada um, por 1%. Outras respostas são 5% e brancos e nulos, 21%.

Rejeição

Skaf e Doria são os candidatos mais rejeitados, respectivamente, por 34% e 33%. Seguido, por Marinho (27%), França (22%), Chequer (21%), Arelaro (20%) e Zeitune (19%). Rejeitam todos os candidatos apresentados e não votariam em nenhum deles 10%; votariam em qualquer um deles 3%; e não opinaram 7%.

A rejeição à Skaf é mais alta entre os mais ricos e alcança 52%. Já a rejeição a Doria é mais alta entre os mais instruídos, 41%; entre os que têm renda familiar mensal de mais de cinco a dez salários mínimos, 41%; entre os moradores de municípios com mais de 500 mil habitantes, 44%; entre os moradores da Capital paulista, 49%; e entre os entre os que reprovam o governo estadual de Alckmin 56%.

O levantamento, realizado entre 11 e 13 deste mês, foram feitas 1.954 entrevistas presenciais em 68 municípios. A margem de erro da pesquisa é de 2 pontos porcentuais para mais ou para menos considerando nível de confiança de 95%. A pesquisa está registrada no Tribunal Superior Eleitoral com o número – SP 04706/2018

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*