Uncategorized

Anchieta é liberada, mas Mogi-Bertioga segue fechada e sem previsão

Foi liberado às 17h desta segunda (16) o km 47 da rodovia Anchieta, que estava bloqueado desde a madrugada por conta da queda de uma árvore.

O tráfego flui normalmente, segundo a Ecovias, concessionária que administra o sistema Anchieta-Imigrantes.

No domingo (15), três deslizamentos de terra também ocasionaram bloqueios. Não houve feridos.

A Mogi-Bertioga, por sua vez, permanece interditada no trecho entre os km 69 e 98. Ainda não há previsão de quando será liberada.

O tráfego de veículos está bloqueado desde o dia 11, quando uma pedra de 200 toneladas ocupou a pista, no trecho de serra.

A previsão inicial do DER (Departamento de Estradas de Rodagem de São Paulo) era de que a rodovia fosse desbloqueada no último fim de semana. Entretanto, segundo informou o órgão, o serviço de limpeza precisou ser interrompido no domingo em razão de novos deslizamentos.

O DER avalia que somente após a retirada da terra, lama e pedras será possível estudar medidas para estabilizar o talude.
Como alternativa, os motoristas no sentido São Sebastião, Caraguatatuba e Ubatuba devem usar a Tamoios e a Oswaldo Cruz. Já quem trafega em direção a Guarujá e Bertioga deve seguir pela Anchieta-Imigrantes.

SOLO IRREGULAR

Inaugurada em 1982, a rodovia Mogi-Bertioga tem quase metade de sua extensão sobre solo irregular, com pedras misturadas a partes arenosas.
Além disso, o clima, com grande amplitude térmica (calor de dia e frio e neblina à noite) e a presença de rios e cachoeiras contribuem para que os deslizamentos sejam frequentes.

O DER afirmou que, em março, foi iniciada a construção de muros de contenção em três pontos da rodovia, após a primeira interdição do ano por causa de deslizamentos, em fevereiro. A expectativa é que os muros fiquem prontos em até seis meses.

O órgão também afirmou que iniciou contrato neste mês para a realização de um novo estudo global das estradas que cortam serras no estado, incluindo a Mogi-Bertioga.

Deixe uma resposta