Diadema, Política-ABC, Sua região

Marcos Michels solicita instalação de AME no Quarteirão da Saúde

Marcos Michels solicita instalação de AME no Quarteirão da Saúde
Documento foi entregue nas mãos de Márcio França

O presidente da Câmara de Diadema, Marcos Michels (PSB), apresentou ao governador do Estado de São Paulo, Márcio França (PSB), pedido para que a administração estadual implemente no Quarteirão da Saúde um Ambulatório Médico de Especialidades (AME). O ABC já conta com duas unidades do AME – em Santo André e em Mauá – e, segundo Michels, a economia para o município seria de R$ 50 milhões ao ano.

Segundo o parlamentar, a ideia é ceder o prédio para que o Estado instale os equipamentos e os serviços. “O AME tem mais de 20 especialidades e seria um ganho imenso para a saúde de Diadema”, justificou. “Com essa economia teríamos recursos para a construção do novo hospital, além de contar com serviços que não temos hoje”, completou.

O requerimento, assinado também pelos outros vereadores do PSB, Celio Lucas de Almeida, o Celio Boi, e Sergio Mano, foi feito no dia 22 de março, mas entregue em mãos ao governador na última terça-feira (10). “Ainda que não seja possível instalar o AME, mas se o governo puder dar R$ 2 milhões, R$ 3 milhões para o custeio da saúde na cidade, isso já vai nos ajudar”, reforçou Michels.

O fato de ser do mesmo partido do governador é visto pelo parlamentar como um trunfo nessa negociação. “O Márcio França assumiu o cargo dizendo que mostraria o seu jeito de governar, que mesmo em pouto tempo, apenas nove meses, era possível fazer muita coisa. É com isso que estamos contando”, afirmou o presidente do Legislativo.

Marcos Michels acredita que em até 30 dias já haja algum retorno sobre o pleito. O governador vem a Diadema em 25 de abril para receber título de cidadão diademense, na Câmara Municipal.

Hospital

O governo enviou para o Legislativo, em dezembro, projeto de lei que autoriza a Prefeitura a realizar empréstimo de R$ 124 milhões para construção de um novo hospital. Vereadores oposicionistas e da base cobram mais detalhes sobre o projeto, que já foi adiado inúmeras vezes.

O secretário de Saúde da cidade, Luiz Claudio Sartori, foi convocado para prestar esclarecimentos, mas mesmo assim a propositura continua parada.

Deixe uma resposta