Diadema, Política-ABC, Sua região

Petistas saem em defesa de Maninho e falam em acidente

Petistas saem em defesa de Maninho e falam em acidente
Ex-vereador e candidato a prefeito em 2016, Maninho foi indiciado por lesão corporal. Foto: Marcelo Chello/CJPress/Folhaperss

Os vereadores petistas de Diadema saíram em defesa do ex-vereador e candidato a prefeito em 2016, Manoel Eduardo Marinho, o Maninho (PT), que está respondendo por lesão corporal dolosa após agredir um empresário na última quinta-feira (5), em frente ao Instituto Lula. Na sessão realizada ontem (12), a primeira desde o incidente, os três parlamentares do PT destacaram a boa índole do petista e acusaram a imprensa de sensacionalismo na cobertura do caso.

O vereador Josemundo Dario Queiroz, o Josa, afirmou que o partido tem acompanhado toda a situação com bastante preocupação. “É obvio que nada justifica o discurso de ódio, de intolerância. Nada justifica a prática de atos violentos, inclusive temos repudiado esse tipo de atitude. Agora, as coisas acabaram sendo levadas num momento de muito tensionamento e, infelizmente, acabou sendo uma situação que foi muito ruim”, declarou.

“O ato em si foi uma grande fatalidade. Quem conhece o Maninho, quem sabe quem ele é, sabe que não tem uma prática de violência. Que não é uma pessoa violenta. Que não desenvolve esses atos na sua rotina, no seu cotidiano”, pontuou. “Tenho a oportunidade de conviver com ele há muitos anos, o conheço muito bem. É uma pessoa de discurso muito duro, posições muito firmes, mas isso não tem nada a ver com violência”, enfatizou.

Josa afirmou que existe no partido sentimento de solidariedade ao ex-vereador e à sua família, que vem sendo alvo de ameaças pelas redes sociais e por ligações telefônicas. Porém, destacou que também existe preocupação com o empresário Carlos Alberto Bettoni, que caiu após ser empurrado por Maninho e bateu a cabeça em um caminhão que passava no local, sofrendo traumatismo craniano.

Uso político

O parlamentar lamentou o que chamou de “uso político do episódio”. “Tem havido certa apropriação política. Estão querendo fazer do Maninho o grande vilão. Colocar a cabeça dele numa bandeja em nome de uma posição política e estão tentando eleger uma pessoa que foi vítima sim, que merece toda nossa solidariedade, mas que não pode também ser colocada como um herói do outro lado, porque teve responsabilidade sobre a situação que foi criada”, completou.

O vereador Orlando Vitoriano fez coro ao defender a índole do ex-parlamentar. “Se plantou uma imagem muito negativa do Maninho. Quem conhece o ser humano que ele é, o líder, sabe que não tem a maledicência criminosa. Não impera o mal no coração dele e da família”, afirmou. “Houve um momento de tensão, de ação e reação dos dois lados, que provocou essa situação e um acidente”, pontuou.

“Para nós é muito triste. Estamos prestando solidariedade a ele, à família, assim como estamos preocupados também com o senhor que sofreu o acidente, porque também não merecia isso. Ainda que pense de forma diferente, que tenha chegado provocando e xingando todo mundo, ninguém merece ser agredido. Ninguém merece violência”, completou. Vitoriano afirmou, ainda, que o PT deve fazer em breve um posicionamento oficial sobre o episódio.

Mais veemente, o vereador Ronaldo Lacerda destacou que o homem que acabou agredido foi ao local para ofender apoiadores do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. “As pessoas acham que estamos apoiando qualquer ato de violência. Não é isso. Porém, (o empresário) foi lá incitar a violência. Foi lá xingar. O Maninho estava dentro do carro indo embora e o cara começou a falar palavras de baixo calão. Enfim, os ânimos estavam acirrados”, afirmou.

“Como é que você vai na minha casa, me xinga? Uma tentativa de empurrar, acabou acontecendo. Agora, não pode transformar isso nesse show pirotécnico que a imprensa quer transformar, como ato de violência, de vandalismo. Não foi nada disso”, argumentou. “Estão fazendo uso político dessa história. A imprensa faz um teatro. Já vimos ‘n’ situações de violência em futebol e não trataram dessa forma. Não trataram também o episódio da ação contra o ônibus do presidente Lula, por que não falaram? Aquilo foi um ato de vandalismo, de terrorismo, um atentado, mas não deram a mesma ênfase”, comparou.

No último boletim médico divulgado pelo Hospital São Camilo a informação dada é que o empresário permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) com quadro estável e sem previsão de alta.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*