Mauá, Política-ABC, Sua região

Mauá cria 86 cargos comissionados em um ano

Mauá cria 86 cargos comissionados

O prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), criou 86 cargos comissionados na administração municipal desde abril de 2017. Projeto de autoria do Executivo enviado na terça-feira (10) e já submetido à primeira votação, em regime de urgência, criou 53 postos de trabalho de livre provimento, incluindo seis cargos de funções gratificadas, que são assumidos por funcionários de carreira e acrescidos de um porcentual sobre os vencimentos. A propositura será votada novamente hoje (12), em sessão extraordinária. Jacomussi alega que 90% dos cargos são para área de saúde e que esses profissionais vão melhorar o atendimento no setor.

Logo que assumiu o cargo, Atila retirou da Câmara projeto enviado pelo seu antecessor, o ex-prefeito Donisete Braga (PT), que promovia ampla reforma administrativa e reduzia de 895 para 483 os cargos comissionados, enxugamento de 46%. A redução atendia determinação do Ministério Público, que considerou inconstitucionais diversas nomeações feitas na gestão de Braga e do ex-prefeito Osvaldo Dias (PT). Donisete Braga chegou ser condenado em primeira instância, por improbidade administrativa, em 18 de julho de 2017, por manter os cargos.

Com maioria no Legislativo e, alegando que a reforma pretendia engessar sua gestão, Atila enviou novo projeto em abril do ano passado que promoveu uma reforma bem mais tímida, e reduziu de 895 para 574 cargos comissionados. Promoveu também a extinção de uma secretaria, mas desmembrou outras duas pastas e, mais recentemente, criou a Secretaria de Políticas Públicas para Mulheres. Em dezembro de 2017, novo projeto aumentou para 607 o número de comissionados. Agora, o texto aprovado em primeira votação eleva para 660 o total de cargos de livre provimento.

Área da saúde

Atila Jacomussi afirmou que os novos cargos serão ocupados, em sua maioria, por funcionários de carreira e que 90% dos novos postos de trabalho serão para área da saúde. “Um dos nossos maiores desafios é a qualidade no atendimento, no acolhimento, e esses profissionais vão suprir essa necessidade”, declarou. “Toda essa reformulação que estamos promovendo na saúde, com mutirões, zeramos as filas de oftalmologista, vasectomia e cirurgia de catarata. Vamos atacar agora as filas para exames laboratoriais, tudo isso visa preparar a rede para nosso grande projeto, que é o Poupatempo da Saúde, no início do ano que vem”, completou.

O vereador oposicionista Marcelo de Oliveira (PT) classificou como “escandaloso” o novo aumento de cargos. “Um aumento de quase R$ 4 milhões na folha de pagamento, em uma cidade que falta remédio, que falta papel higiênico nas escolas, que tem inúmeros contratos sem pagamento”, acusou. “Ficar gastando com cargos, a gente imagina que seja para a campanha (eleitoral)”, completou. Além do petista, votaram contra o projeto o vereador Ricardinho da Enfermagem (PTB) e Chiquinho do Zaíra (Avante).

2 Comentarios

  1. Politicos insistem em andar na contra mao, fazerem o antiético, o errado, o sujo, mas vindo desse tacanho e carreirista político, que dará outra apunhalada no povo de Mauá aumentando tarifas dos ônibus

  2. Fabiana Teixeira de Souza

    SENÃO ME ENGANO CADÊ O DINHEIRO QUE O DONIZETE EMBOLSOU????OSWALDO DIAS ESTAVA FAZENDO UMA CASA GRANDE LA PARA OS LADOS DA MATRIZ….NA PRIMEIRA VEZ QUE FOI PREFEITO….SE AO INVÉS DE MIMIMI FIZESSEM QUEM ROUBOU DEVOLVER PARA OS COFRES PÚBLICOS TERIA COMO OUTRA GESTÃO DAR CONTA ACONTECE QUE BRIGAM PROTESTAM MAIS OS BOLSOS ESTÃO CHEIOS PARA TIRAR A ATENÇÃO DA POPULAÇÃO ….

Deixe uma resposta