Diadema, Política-ABC, Sua região

Pátio de veículos em Diadema não cumpre lei que prevê parcelamento de débitos

Pátio de veículos em Diadema não cumpre lei que prevê parcelamento de débitos
Pátio é administrado por terceirizada; placa menciona que pagamentos são feitos apenas em dinheiro. Foto: Reprodução internet/Divulgação

O pátio de veículos de Diadema, local para onde são levados carros, motos e todo tipo de veículo que é apreendido por excesso de multas ou irregularidades com os documentos, não está cumprindo a lei. Desde 2013, legislação de autoria do ex-vereador José Dourado (PSDB) determina que os débitos com diá­rias e guincho, bem como os valores de multas, podem ser parcelados em até dez vezes. No entanto, vários motoristas entrevistados pela reportagem do Diário Regional relataram que não foram informados dessa possibilidade.

A reportagem também entrou em contato com o pátio pelo telefone e foi informada por uma funcionária que todos os débitos devem ser pagos a vista. Para motos, o valor da diária é de R$ 55,65 e o guincho R$ 281,96. Porém, se o motorista tiver um carro ou outro veículo apreendido, os valores são maiores: a diária é de R$ 74,20 e o guincho R$ 482,30.

Regulamentada em maio de 2013, a Lei 3322/2013 prevê que “as multas de trânsito e taxas decorrentes da apreensão, guarda e conservação de veículos aplicadas no município de Diadema poderão ser parceladas em até dez vezes”. Também cita que “os valores de multas e taxas advindos da guarda e conservação de veículos em local apropriado e adequado, serão parcelados na forma da presente lei diretamente no local onde os veículos se encontram, devendo a parte operacional do parcelamento ser de responsabilidade da empresa concessionária do serviço de pátio de veículos”.

O autônomo Marcio Gouveia Terra, morador do bairro Casa Grande, teve um veículo apreendido por quatro dias há cerca de dois anos. Gastou aproximadamente R$ 1 mil para as taxas e não foi informado sobre a possibilidade de parcelamento dos débitos. “O guincho é um absurdo de caro. Me sinto traído pelo sistema, porque poderia ter optado por pagar de forma parcelada”, afirmou. Terra citou também que por conta da burocracia, pagou diárias a mais porque não conseguiu retirar o veículo na mesma data de pagamento dos valores.

O comerciante Gilmar Carlos da Silva, morador do bairro Monte Líbano, na divisa entre Diadema e São Paulo, teve uma moto apreendida há duas semanas e um carro apreendido há um mês. Gastou R$ 2,1 mil para retirar os dois veículos e também não foi informado sobre a vigência da lei do parcelamento. “Paguei tudo s vista. Me senti roubado”, reclamou.

O pátio de Diadema tem capacidade para 300 veículos e 2 mil motos e é administrado por uma empresa terceirizada, sob gestão da Secretaria de Transportes. A reportagem do Diário Regional questionou a prefeitura sobre a situação irregular e também sobre quantos veículos estão, atualmente, sob a guarda da administração municipal. Os questionamentos não foram respondidos até o fechamento desta edição.

12 Comentarios

  1. Paguei um débito de dívida ativa, no dia 20/09 no dinheiro, e retornei ao Detran do Poupatempo de Santo Amaro, e fui informado que precisa esperar 5 dias para dar baixa.
    Consultei hj 23/9/18 e realmente está pendente.
    Entendo que a baixa do pagamento deveria está liberado no máximo no dia 22/09
    Só posso dar andamento na liberação após a baixa no sistema, e com isso estou pagando estadia

  2. Sobre assunto, de não ter facilidade em Diadema para o parcelamento do pagamento que já está sendo verificado e ou que continua fora do contexto que ainda outras (vitimas)…pessoas vão viver,e se tem como recorrer sobre esse abuso?

  3. Tive o carro apreendido na quinta em Pinheiros, consegui liberar na sexta, mas precisa ser diligente. Não siga as informações erradas do site do Detran, corra para o CIRETRAN de diadema, regularize o CRLV, sem ele não é possível dar entrada na liberação. Leve um comprovante de residência, CNH e o CRR (autuação). No proprio local permitem fazer cópias, la voce paga 14 reais de taxa de liberação e com isso é expedido o documento de liberação, sem ele nao adianta ir no patio de Diadema. Com ele voce entra no conteiner, paga o guincho de 480 reais e a estadia no pátio de 72, o carro foi devolvido no mesmo dia. A jornada começou as 7h no Poupatempo e terminou as 16h15 no patio, se marcar bobeira o Detran te enrola pro carro passar o fim de semana no pátio gerando dinheiro para eles, espero ter ajudado alguem, pois as informações ficam confusas!

  4. Meu veículo foi apreendido em blitz na Av Engenheiro Billings x Escola Politécnica e mandaram para o pátio em Diadema.

    Que farra de corrupção é essa? Já se cansaram de roubar os cidadãos de Diadema e agora mandam os veículos de blitz na MARGINAL, EM SÃO PAULO, para outro município?

    O pior é que o PM falou pra eu resolver no Detran Armênia. Perdi tempo para não ter atendimento!!!

    Com a blitz bizarra na sexta, entendi o motivo. Enganar mandando ir pra Armênia. Assim, o veículo passar o final de semana no pátio e terei que pagar essas diárias caras descritas na reportagem.

    Preços abusivos! Denunciem esse pátio de ladrões!!!!

  5. Como faço pra fazer esse parcelamento ?

  6. Gente eu tive neu carro apreendido em sp . Dia 24 retirei dia 25 . Qto ao parcelamento da sim . Basta saber valer seus direitos . Eu fui na prefeitura de Diadema e relatei meu caso. Eles obrigaram o pátio a parcelar meus débitos.

    Quem quiser saber mais me chame
    Nesse whatsapp 954344752

  7. E a farra continua em Diadema!!! A prefeitura está quebrada e é conivente com toda a roubalheira, tivemos nosso carro apreendido ontem a noite, pela manha fui informada que não existe a possibilidade de parcelamento, além do meu carro já ter sido revistado sabe Deus por quem. Roubam tudo que encontram e ninguém se responsabiliza. A Lei municipal 3.322/13, aparentemente é de enfeite, além de cobrarem diárias a mais.

  8. antonio roque da paz silva

    Eu estou passando por isso pela segunda vez em três meses; conversei com diversas”autoridades” do municípios e todos me pareceram muito escorregadios e parecem conviver com isso pra sobrevivência e beneficio de seus iguais. O cidadão comum paga um absurdo( R$ 482,00) pra guinchar um carro em um raio de aproximadamente dez kms e o pátio não é obrigado e seguir a lei que garante o parcelamento. Um verdadeiro roubo. Policiais estúpidos e coniventes com a situação tem demais em Diadema. Dá vergonha das “autoridades “da cidade. Quando um ladrão declarado nos roubam nas ruas a sensação de ser roubado e menor. Se o pátio e a prefeitura não dão resposta a imprensa, imaginem ao simples e humilde cidadão que tem medo de represálias e de até perder o carro…

  9. Vamos providenciar uma nova matéria.

  10. Haveria possibilidade de novas matérias sobre o assunto, essa situação já passou dos limites, fica nítido que qualquer situação se tornou motivo para apreensão de veículos em Diadema , existe algo muito errado nessa situação e alguem precisa investigar , não somente o pátio terceirizado assim como a conduta de quem está realizando as apreensões.

  11. Tive meu veiculo apreendido no dia 2/7/18 e o Pátio continua descumprindo a Lei municipal 3.322/13, a funcionária informou que estavam recorrendo na Secretária de Diadema e que a solicitação para o parcelamento não era no pátio, além disso estão cometendo crime com a receita de acordo com a lei 4.729, pois não estão emitindo NF.
    A própria Ciretran de Diadema localizada dentro do Poupatempo dificulta a liberação do Oficio para retirada de veículos, obrigando os proprietários a pagarem taxas de estadia a mais, ou seja, estão retendo o patrimônio das pessoas.
    Alguns proprietários estavam reclamando porque danificaram suas motos durante o guincho.
    Por que tenho que pagar o guincho, quando no mesmo guincho foi uma moto na frente do meu veiculo? Pago por dois?

  12. Meu carro foi apreendido essa semana e também não me informaram dessa possibilidade, ainda tive meu espete roubado no pátio. Taxas abusivas! Guincho abusivo! Qual seria uma forma de recorrer?

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*