Economia, Notícias

Inflação medida pelo IPCA é a menor para fevereiro em 18 anos, diz IBGE

Inflação medida pelo IPCA é a menor para fevereiro em 18 anos, diz IBGE
As carnes ficaram 1,09% mais baratas e contribuíram para derrubar o IPCA em fevereiro. Foto: Agência Brasil

A inflação oficial, medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), ficou em 0,32% em fevereiro, acima da taxa de 0,29% de janeiro, mas abaixo do 0,33% de fevereiro de 2017. Es­se é o IPCA mais baixo pa­ra os meses de fevereiro desde 2000, quando re­gistrou taxa de 0,13%.

O dado foi divulgado ontem (9) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. De acordo com o IBGE, o IPCA acumula alta de 0,61% neste ano, menor taxa desde a adoção do Plano Real, em 1994. Em 12 meses, a variação acumulada é de 2,84%, a mais baixa para o período desde 1999, quando registrou 2,24%.

Em fevereiro, a inflação foi puxada principalmente pelo grupo Educação – que, com alta de 3,89%, respondeu por mais da metade do IPCA no mês. A taxa reflete os reajustes habitualmente ocorridos no início do ano letivo, em especial os aumentos nas mensalidades dos cursos regulares, cujos valores subiram 5,23%.

Outro impacto importante na inflação de fevereiro veio dos transportes, cujo custo aumentou 0,74% no mês, principalmente devido a reajustes nos ônibus urbanos (1,90%) e na gasolina (0,85%). Por outro lado, alimentos e bebidas tiveram queda de preços (deflação) de 0,33% no período e contribuíram para derrubar o índice.

Segundo o IBGE, vários produtos importantes na mesa do brasileiro ficaram mais baratos, como carnes (-1,09%) e frutas (-1,13%).
Os demais grupos tiveram as seguintes taxas em fevereiro: saúde (0,38%), habitação (0,22%), despesas pessoais (0,17%), comunicação (0,05%), artigos de residência (0,03%) e vestuário (-0,38%).

Revisão

O Mitsubishi UFJ Financial Group revisou a previsão do IPCA deste ano de 4,35% para 3,8% devido, principalmente, à divulgação recente de taxas abaixo do esperado e à expectativa de inflação moderada para os próximos meses.

“As condições climáticas têm sido mais favoráveis do que o esperado anteriormente, levando à revisão positiva da safra para este ano. A maior oferta de alimentos contribui para inflação mais moderada dos alimentos durante o ano”, diz o relatório do banco.

“O bom volume de chuvas também elevou os níveis dos reservatórios das usinas hidrelétricas e prolongou a bandeira verde (sem cobrança adicional). Por isso, revisamos a previsão para a energia elétrica de 5% para 3,5%”, prossegue.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*