Arte & Lazer, Roteiro

Artista de Diadema expõe no Conjunto Nacional

Artista de Diadema expõe no Conjunto Nacional
Participação da mostra surgiu depois das peças confeccionadas pelo artista Maurici Caruso para o Natal Iluminado. Foto: Divulgação

A partir de hoje (10), o artista plástico e professor da Fundação Florestan Fernandes, Maurici Caruso, participa, com sete obras, da exposição “Fundação da Cidade São Paulo”, que ficará no saguão do Conjunto Nacional. Suas criações são esculturas feitas de papel reciclável que representam personagens responsáveis pela fundação da cidade, no caso, os bandeirantes.

O evento vai até dia 21 deste mês e é uma parceria do Fundo Social de Solidariedade de Diadema, que tem, entre seus propósitos, levar a arte do município e promover o pensamento ecológico, com a Fundação São Paulo.

A participação da mostra surgiu depois das peças confeccionadas pelo artista Maurici Caruso para o Natal Iluminado, tradicional evento de Diadema, realizado pela Prefeitura. Na ocasião, os cenários, que ficaram expostos na Praça Lauro Michels, no Shopping Praça da Moça e na EMEB Francisco Daniel Trivinho, fizeram tanto sucesso com a população, que as pessoas enfrentaram longas filas para tirar fotos temáticas no presépio e em outros cenários natalinos.

Agora, nesta exposição, o artista optou por trabalhar com o mesmo material. Maurici Caruso ajudará a contar a história da cidade de São Paulo reproduzindo personagens como Borba Gato, João Ramalho, Fernão Dias e Antônio Raposo Tavares, além dos padres jesuítas José de Anchieta e Manuel de Nóbrega e do índio Cacique Tibiriçá.

“As pessoas, quando viram o presépio, acharam uma novidade. Foi daí que surgiu a sugestão da Prefeitura de Diadema para presentear a cidade de São Paulo com criações semelhantes as que fiz para a minha cidade”, disse Caruso.

Para deixar as esculturas com semblante real humano, as obras foram modeladas com técnicas específicas, com o intuito de remeter ao impressionismo. Além do papel Kraft, foram utilizados materiais recicláveis para compor a estrutura interna das obras, como a base de madeira para a sustentação e caixas de papelão.  A arte foi feita visando à sustentabilidade e buscando despertar a consciência sobre o meio ambiente.

O trabalho feito pelo artista plástico chegou até a administradora do Conjunto Nacional e organizadora da exposição Valquiria Iacocca que, imediatamente, se interessou pelo projeto.

“O objetivo é mostrar um artesão que tem em sua obra uma temática diferente e interessante e que o público possa conhecer e gostar. A temática de contar a história de São Paulo é importante”, conta Valquiria.

Serviço:

Centro Cultural Conjunto Nacional

Av. Paulista, 2073, Piso Térreo – Consolação, São Paulo

Deixe uma resposta