Política-ABC, Ribeirão Pires, Sua região

Após 9 anos e R$ 21 mi investidos, hospital de Ribeirão Pires ainda não está pronto

Gestão de Saulo Benevides chegou a prometer entrega do complexo hospitalar para 2015. Foto: Divulgação/PMETRP/Arquivo DRApós nove anos de obras e R$ 21.156.534,37 investidos na construção do Complexo Hospitalar de Ribeirão Pires, a administração municipal afirma que ainda precisa de pelo menos R$ 8 milhões para concluir as instalações. O prefeito Adler Teixeira, o Kiko (PSB), informou, em entrevista exclusiva para o Diário Regional, que já tem R$ 1 milhão garantido pelo governo federal e que será utilizado para finalizar um andar do equipamento.

“Estamos retomando as obras. Estive recentemente uma audiência com o governador Geraldo Alckmin (PSDB) e debatemos o assunto”, relatou o prefeito. “Precisamos de mais R$ 7 milhões. O governador nos orientou a apresentar um projeto de forma fragmentada, para que o recurso seja desembolsado em três partes”, explicou. “Ainda não temos garantia se realmente vamos receber, mas uma vez aprovado, acredito que em um ano a obra esteja concluída”, completou.

Kiko relembrou que o hospital começou a ser construído na gestão do ex-prefeito Clóvis Volpi, em 2008. “É uma obra que o meu antecessor (o ex-prefeito Saulo Benevides/PMDB), logo que assumiu, alegou uma série de irregularidades e foi paralisada”, destacou. O peemedebista chegou a retomar as intervenções e prometeu entregar o equipamento no primeiro semestre de 2015.

Além dos R$ 8 milhões que ainda são necessários para a parte estrutural, equipar o hospital deve consumir outros R$ 3 milhões. O custeio, estimado em R$ 4 milhões pela gestão anterior, está sendo recalculado pela atual administração. Segundo a prefeitura, dos R$ 21 milhões investidos até agora, 75% são recursos estaduais, 15% recursos federais e 10% recursos municipais.

O Complexo Hospitalar de Ribeirão Pires prevê a construção de centro de parto normal, centro cirúrgico obstétrico, central de esterilização de materiais, farmácia, almoxarifado, setores de internação em unidade de terapia intensiva (UTI), clínica médica, maternidade, psiquiatria, pediatria, cozinha, refeitório, lactário.

A Secretaria de Estado da Saúde informou que a Prefeitura de Ribeirão Pires fez um pedido de repasse de R$ 7 milhões ao Estado, mas até o momento não enviou nenhum projeto ou detalhamento justificando o pleito.

“Desde 2007 o Estado já repassou R$ 18 milhões para a administração municipal construir a unidade e aguarda o projeto para avaliação. Vale lembrar que a construção do hospital é de responsabilidade do município, que possui total autonomia para dar prosseguimento às obras do complexo”, afirmou.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*