Editorias, Mundo, Notícias

Organização Mundial da Saúde teme epidemia de cólera no Haiti

Mais de 1,3 milhão de haitianos necessitam de apoio. Foto: Logan Abassi UN / MINUSTAH

A Organização Mundial da Saúde (OMS) comunicou ontem (13) a preocupação com a possibilidade de uma epidemia de cólera no Haiti, em decorrência das inundações provocadas pela passagem do Furacão Matthew, que atingiu o país no último dia 4. “Antes do furacão, tínhamos sérios problemas de acesso à saúde, água e saneamento, e casos de cólera. E, quando o abastecimento de água é interrompido, os casos de cólera aumentam. Estamos seriamente preocupados com uma epidemia”, disse o representante da Organização Pan-Americana da Saúde (Opas) no Haiti, Jean-Luc Poncelet, em comunicado.

Segundo Poncelet, estima-se que no Sudoeste do Haiti, 80% das casas perderam o telhado e a maioria dos hospitais sofreu grandes danos. Ao menos 100 instalações não podem funcionar na região.Mais de 1,3 milhão de haitianos afetados pelo furacão necessitam de apoio humanitário. Por isso, a Opas informou que equipes multinacionais de especialistas foram mobilizadas para Jérémie, Les Cayes e para a capital, Porto Príncipe, para apoiar as operações e restaurar a capacidade dos serviços e sistemas de saúde. Especialistas em emergências e desastres, serviços de saúde, vigilância epidemiológica, logística, transporte e comunicação estão na Opas no Haiti.

De acordo com a OMS, o país já teve 800 suspeitas de cólera este ano. A agência das Nações Unidas decidiu enviar 1 milhão de doses de vacina contra cólera para o país e kits contra a doença.

As Nações Unidas lançaram um apelo à comunidade internacional para recolher cerca de US$ 120 milhões em doações para ajudar a população haitiana. Segundo a representação diplomática haitiana, as doações podem se feitas na conta-corrente 982.054-X, Banco do Brasil, agência 1606-3.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*