Economia, Notícias

Preço do aluguel em São Bernardo tem queda real de 9,4% em agosto, diz FipeZap

O mercado imobiliá­rio viu a crise econômica afugentar não só interessados em comprar imóveis, mas também quem pretendia alugá-los. Co­mo re­sultado da fraca demanda, o preço da locação de casas e apartamentos tem subido abaixo da inflação.

Prova disso é que o preço do aluguel residencial em São Bernardo caiu 0,23% em agosto na comparação com julho, mostram dados divulgados ontem (14) no âmbito do Índice FipeZap de Locação, elaborado pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas e pelo portal Zap Imóveis. Quem alugou imóvel na cidade no mês passado pagou, em média, R$ 18,82 por metro quadrado.

Nesse tipo de comparação, trata-se do quarto mês consecutivo de queda no preço de novos aluguéis no município, o único do ABC entre os 11 acompanhados pelo índice (veja gráfico ao lado).

Nos últimos 12 meses, a queda nominal dos preços foi de 1,27%. Se for considerada a inflação de 8,97% para o período medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA), a queda real foi de 9,4%.

São Bernardo tem o segundo aluguel mais barato da pesquisa, perdendo apenas para Curitiba (R$ 16,64 o metro quadrado). O mais caro é o do Rio de Janeiro (R$ 35,64). A média nas 11 cidades é R$ 30,13, valor mais baixo em três anos.

A pesquisa leva em consideração apenas os preços anunciados para novos contratos de aluguel. Locações em andamento não são incluídas porque, nes­ses casos, os preços geralmente são ajustados de acordo com o Índice Geral de Preços-Mercado (IGP-M), da Fun­da­ção Getulio Vargas (FGV).

Desemprego

A queda nos preços dos aluguéis reflete a desaceleração da atividade econômica e a deterioração nos indicadores de emprego e renda. Entre julho de 2014 e o mesmo mês deste ano, a taxa de desemprego no ABC avançou de 10,6% para 16,8%, segundo pesquisa da Fundação Seade, do Dieese e do Consórcio Intermunicipal.

Com o mercado de trabalho demitindo e a inflação elevada, o consumidor se sente inseguro para fazer qualquer gasto. Devido à demanda menor, o locador é obrigado a ser mais flexível e, entre manter o imóvel vazio e diminuir a pe­dida para quem vai alugar ou corrigir o contrato vigente, prefere a segunda opção.

Rentabilidade

Do lado do locador, a cri­se deixa o aluguel do imóvel menos vantajoso. Segundo a pesquisa, o retorno médio com a locação em São Bernardo foi de 4,6% ao ano em agosto. Esse porcentual é o resultado da comparação entre o preço de aluguel e o de venda do imóvel, multiplicado por 12.

O retorno médio em São Bernardo é superior ao obtido nas 11 cidades acompanhadas pelo FipeZap (4,4%), mas inferior à taxa de juros real do país, que é de 7,3%.

Na prática, isso significa que a taxa de retorno do aluguel é inferior à de algumas aplicações em renda fixa, o que pode desestimular o investimento em imóveis.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*