Brasil, Editorias, Notícias

MEC prorroga prazo de documentos do Fies devido à greve

O Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE), ligado ao Ministério da Educação, prorrogou o prazo de validade dos documentos necessários para contratação ou aditamento do Fies (Fundo de Financiamento Estudantil). A alteração dos prazos ocorre devido à greve dos bancários para evitar que os estudantes sejam prejudicados pela paralisação. A medida foi publicada no “Diário Oficial” da União de ontem (12).

“Se o estudante não conseguir contratar o Fies, ele perde a inscrição; com a greve dos bancos, eles perderiam as vagas automaticamente. O objetivo da medida é interromper esse processo”, afirma o coordenador-geral de suporte operacional do Fies, Flávio Carlos Pereira, também diretor-substituto de gestão de fundos e benefícios. “Depois que acabar a greve, o estudante ainda terá alguns dias para concluir o processo: é uma maneira de proteger os alunos.”

Com a decisão, as agências da Caixa Econômica Federal e do Banco do Brasil, vinculadas ao Fies, deverão receber, até 20 dias depois do fim da greve, a documentação que venceram durante a paralisação ou em até dez dias após o término.

Os documentos são fornecidos pela instituição onde o aluno estuda. O aditamento é o processo pelo qual o aluno renova seu contrato com o MEC e garante a continuidade do financiamento de seu curso.

De acordo com o ministério, os estudantes podem frequentar as aulas normalmente, tendo em vista que o contrato do Fies cobre todas as mensalidades do semestre. “As normas do Fies determinam que a escola, assim que o estudante conclui a inscrição no curso, tem de assegurar a matrícula e não pode cobrar nada dele”, explica Pereira. O acerto é feito entre o FNDE e a instituição de ensino.

Vagas remanescentes

No dia 22 de agosto, o MEC abriu a oferta de 28 mil vagas remanescente da segunda edição do Fies 2016, no qual o ministério ofertou 75 mil vagas -cerca de 294 mil pessoas se inscreveram para essa seleção. O prazo final depende do grupo no qual o estudante se enquadra.

Os interessados devem realizar a inscrição exclusivamente pela internet, no sistema eletrônico SisFies. Após concluir a inscrição no SisFies, os estudantes devem validar suas informações na Comissão Permanente de Supervisão e Acompanhamento da instituição de ensino superior para a qual foi selecionado e, depois, formalizar o contrato de financiamento junto à Caixa Econômica ou Banco do Brasil.

A novidade desta edição é a ampliação da renda mensal bruta per capita de 2,5 para 3 salários mínimos, ou seja, de R$ 2.200 para R$ 2.640, para ter acesso às bolsas do programa. Podem se inscrever os candidatos que não tenham concluído o ensino superior, mas que tiveram média acima de 450 pontos no Exame Nacional do Ensino Médio, a partir da edição de 2010 do Enem, e nota superior a zero na redação.

Deixe seu comentario

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*