Morre Chester Bennington, líder do Linkin Park; suspeita é de suicídio | Diário Regional

Morre Chester Bennington, líder do Linkin Park; suspeita é de suicídio

20/07/2017 15:51
Print Friendly

Chester Bennington, vocalista da banda Linkin Park, foi encontrado morto na manhã desta quinta-feira (20). Ele tinha 41 anos. Bennington morreu no mChester Bennington canta em show do Linkin Park em Los Angeles, em 2014. Foto: Divulgaçãoesmo dia em que se comemoraria o aniversário de Chris Cornell, vocalista das bandas Soundgarden e Audioslave, que morreu em maio deste ano.

A informação foi confirmada pelo parceiro de banda Mike Shinoda em sua conta no Twitter. “Chocado e com o coração partido, mas é verdade. Um comunicado oficial será divulgado assim que tivermos”.

Brian Elias, chefe de operações da polícia de Los Angeles, também confirmou a morte de Bennington. De acordo com o jornal “The New York Times”, a morte do cantor estava sendo investigada como um aparente suicídio.

O primeiro veículo a divulgar a morte do músico foi o “TMZ”. Segundo o site, Bennington teria se enforcado. As autoridades policiais foram acionadas pouco depois das 9h. O corpo de Bennington foi encontrado em sua casa em Palos Verdes Estates, Los Angeles (Califórnia). A polícia não divulgou mais informações sobre o caso.

Poucas horas antes da divulgação da morte de Bennington, a banda Linkin Park lançou seu novo single “Talking to Myself”. Nascido em Phoenix, no Arizona, Bennington tinha seis filhos, de dois casamentos. Assim como o amigo Chris Cornell, ele também lutou por anos contra drogas e álcool.

Em pouco tempo, a morte do cantor se tornou um dos assuntos mais comentados nas redes sociais, nas quais fãs lamentaram o ocorrido.

CARREIRA

Antes de entrar no Linkin Park, Chester tocou na banda Gray Daze, que gravou apenas dois álbuns, “No Sun Today” e ‘Wake Me”. Entre 2013 e 2015, Chester Bennington também foi vocalista da banda Stone Temple Pilots, substituindo Scott Weiland. Ele não precisou deixar o Linkin Park.

Com um vocal gritado que despejava raiva e angústia, Chester Bennington ajudou a posicionar o Linkin Park como umas das bandas mais emblemáticas da história recente do rock. A banda popularizou o nu-metal, que une elementos do hard rock, do punk e do rap sob letras niilistas e desesperadas.

A última passagem da banda pelo país foi em 13 de maio deste ano, no Maximus Festival, que reuniu 40 mil pessoas em São Paulo. O Linkin Park foi o principal show da noite e, além das músicas antigas, tocou as faixas “Battle Symphony” e “Heavy”, do álbum “One More Light”, lançado em 19 de maio.

Antes disso, o grupo esteve no Brasil três vezes, a primeira delas em seu auge, em 2004, quando levou cerca de 80 mil pessoas ao Morumbi, em São Paulo, na turnê do álbum “Meteora”, que contou com abertura de Charlie Brown Jr.

Em 2010 voltou para o festival SWU, em Itu, onde reuniu 45 mil espectadores. Dois anos depois, a então banda mais popular do Facebook, com 65 milhões de fãs, fez nova turnê no país, apresentando-se para cerca de 27 mil fãs no Anhembi. Cerca de 20 mil pessoas cantaram hits da carreira como “In the End”, “Faint” e “Numb” em Belo Horizonte naquele mesmo ano.

CHRIS CORNELL

Chris Cornell morreu no dia 17 de maio deste ano, em Detroit (EUA), aos 52 anos. Ele deixou a mulher e os filhos. A autópsia do médico legista confirmou a hipótese já levantada pela polícia de que o músico se suicidou. De acordo com nota divulgada, família e equipe gostariam de agradecer aos fãs pelo amor e pela lealdade e pedir privacidade e respeito neste momento.

Na época, um amigo da família disse que encontrou Cornell com uma faixa ao redor do seu pescoço. Chris Cornell teve problemas com álcool e outras drogas durante a carreira. Em 2003, ao passar por um tratamento de reabilitação, ele disse em entrevista que gostava daquele processo. “É como uma escola, é interessante. Estou vendo que posso aprender aos 38 anos.”

Cornell era um dos ícones do grunge com a banda Soundgarden, formada em Seattle no início dos anos 1980, e ganhou destaque no início da década de 1990, ao lado de grupos como Nirvana, Alice in Chains e Pearl Jam. Após uma pausa com o Soundgarden, ele alternou carreira solo e outros projetos.

Em 2001, ele se juntou aos ex-integrantes do Rage Against the Machine -Tom Morello, Brad Wilk e Tim Commeford- e formou o Audioslave em 2001. A banda lançou três álbuns e se manteve até 2007. Em 2010, o Soundgarden se reuniu para novos trabalhos e turnê. Neste mês, o grupo tem shows marcados em diversas cidades dos EUA.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: