Uncategorized

IPTU deve subir em S.André com atualização do valor dos imóveis

Desde 2002 a planta genérica é a mesma; com a mudança, prefeitura estima que ao menos um terço dos carnês terão valores maiores. Foto: ArquivoA Câmara  de Santo André vota hoje (29) projeto de autoria do Executivo que atualiza o valor venal dos imóveis e, segundo o governo, vai promover “justiça fiscal” no Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU) cobrado na cidade. A propositura não deixa claro qual será o impacto das mudanças para os munícipes, mas a administração admite que ao menos um terço dos carnês terão valores maiores no próximo ano.

“Não é aumento. Desde 2002 a planta genérica da cidade é a mesma. Se observar, hoje o imóvel valoriza de acordo com o boom imobiliário da região. Um parque, um empreendimento comercial. Os imóveis foram valorizados, esse valor é contabilizado na hora da venda, mas na hora de pagar o IPTU o valor está o de 2002, quando houve a última atualização”, argumentou o líder de governo, vereador Pedrinho Botaro (PSDB).

“Pessoas que pagam impostos menores de imóveis mais caros. É isso que o projeto pretende corrigir”, completou.

O parlamentar não soube explicar qual será o porcentual de aumento, mas afirmou que ao menos um terço dos imóveis não sofrerá alterações; um terço dos munícipes vão passar a pagar o imposto; e outro terço terá o aumento. “Existe também um desconto de 10% para quem pagar à vista; 5% para pagamentos em duas parcelas e no final mais 5% se não houver atrasos”, destacou.

O vereador Willians Bezerra (PT) criticou o projeto, apesar de Botaro ter alegado que o texto foi elaborado ainda na gestão do ex-prefeito Carlos Grana (PT). “Não sei se foi na gestão passada, não era vereador, nem o Pedrinho”, argumentou o petista. “É lamentável a forma como esse governo vem agindo. Pregando o discurso, o marketing eleitoral do diálogo e na verdade não é assim que acontece”, acusou. Segundo Bezerra, não houve tempo para leitura e compreensão do projeto.

Deixe uma resposta