Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

Orlando Morando visita projeto de aprendizagem criativa em Emeb

Em visita à Emeb, Morando afirmou que “é uma proposta pedagógica diferente e inovadora”. Foto: Gabriel Inamie/PMSBCO prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, conheceu de perto nesta segunda-feira (26) o projeto de aprendizagem criativa desenvolvido pela Emeb Doutor Vicente Zammite Mammana, no Planalto. A ação promove o contato prático dos alunos da 1ª a 5ª série com elementos da Ciência e da Tecnologia. A atividade foi a primeira do chefe do Executivo após viagem oficial para a Alemanha, cujo objetivo foi a captação de investimentos ao setor industrial.

O projeto foi lançado no último dia 24, como atividade do sábado letivo, que desenvolve atividades culturais e oficinas junto às crianças e comunidade. A ação propõe a exposição de soluções criativas e tecnológicas para os mais variados desafios da atualidade. Na atividade, os alunos desenvolvem máquina futurista e protótipos a partir do uso de materiais recicláveis.

Neste sábado, os projetos dividiram-se em oficinas e incluíram ideias como uma cadeira de rodas que sobe escada, prédios itinerantes, além de calçadas para deficientes vi­suais e andadores especiais para idosos. “É uma proposta pedagógica diferente e inovadora que, além de aguçar a criatividade e habilidades das nossas crianças, também desenvolve o lado humano, de buscar soluções para os problemas da sociedade”, destacou o prefeito,.

“Nos sábados letivos queremos fazer um projeto coletivo que envolva a comunidade. Então, todas as salas de aula trabalham com o mesmo tema e neste ano esta escola está trabalhando com o tema ‘Ciências e Tecnologia’. Assim, os alunos colocam a mão na massa para pensar soluções aos desafios colocados. É uma mudança pedagógica muito grande e importante”, destacou a secretária de Educação, Suzana Dechechi.

Envolvimento

Outro destaque da ação foi o grande envolvimento de pais e demais familiares dos alunos nas oficinas. Além de coletar e doar os materiais usados nos experimentos, as famílias tiveram participação ativa no desenvolvimento dos projetos. “Ficamos contentes com a adesão da comunidade. É uma ação que exercita a ciência, saindo do livro e buscando o concreto”, completou a professora Maria José Decola, que responde pela direção da escola.

Deixe uma resposta