Diadema, Minha Cidade, Sua região

Mediação de Conflitos de Diadema e Hospital Estadual do Serraria realizam campanha de doação de sangue

O Serviço de Mediação de Conflitos da Secretaria de Defesa Social de Diadema realiza, até sexta-feira (23), em conjunto com o Hospital Estadual do Serraria, campanha de doação de sangue. Para participar basta se dirigir ao Hospital das 7h às 14h e fazer sua doação. A secretaria vai oferecer transporte gratuito para quem for doar. A condução sairá em três horários diários da sede da Secretaria de Defesa Social (rua João de Almeida, 352 – Centro, próximo ao Terminal Diadema do trólebus): 8h30, 10h30 e 13h.

Os requisitos básicos para doar sangue são ter boa saúde; ter entre 16 e 60 anos;  pesar no mínimo 52 quilos;  dormir no mínimo 6 horas;  evitar alimentos gordurosos antes da doação; e evitar fumar duas horas antes da doação. A doação de uma pessoa pode salvar até quatro vidas.

Parceria

A campanha de doação de sangue é uma parceira entre a Secretaria de Defesa Social com o Hospital Estadual do Serraria, que possui um hemocentro. “A campanha tem como objetivo conscientizar a população para a importância da doação de sangue para todos”, afirma o secretário de Defesa Social, coronel Marcel Lacerda Soffner. O Dia Mundial do Doador de Sangue (14 de junho) – data estabelecida pela Organização Mundial da Saúde (OMS) – é comemorado desde 2004.  No Brasil, a data foi adotada dez anos depois, em 2014.

“A doação é importante, pois neste período do ano o Brasil experimenta a queda das temperaturas e, em seguida, as férias de meio de ano. Essa situação provoca uma baixa de comparecimento de doadores e os estoques de sangue caem, em média, 30%, nos hemocentros”, afirma Sonia Feitosa, coordenadora do Serviço de Mediação de Conflitos da Prefeitura.

Serviço

Campanha de Doação de Sangue

Até sexta-feira 923), das 7h às 14h

Local: Hospital Estadual de Diadema – Avenida José Bonifacio, 1.641 – Serraria

Todos os dias sairá condução da sede da Secretaria de Defesa Social (Rua João de Almeida, 352 – Centro, próximo ao Terminal Diadema do trólebus) para o Hospital nos seguintes horários:  8h30, 10h30 e 13h

Tire suas dúvidas sobre doação de sangue

. Qual é a quantidade de sangue coletada em cada doação?

Em cada doação, são coletados aproximadamente 450 ml de sangue.

. A quantidade de sangue coletada a cada doação vai afetar minha saúde?

Não, porque na doação de sangue se retira menos do que 10% do volume sanguíneo total de um adulto, por esse motivo só é permitida a doação por pessoas acima de 50 kg.

. Quanto tempo demora para que meu organismo reponha a quantidade de sangue coletada na doação?

O plasma é reposto em algumas horas, as plaquetas se restabelecem em alguns dias, e as hemácias demoram alguns meses. Por esse motivo, a doação de sangue só deve ser realizada a cada 90 dias para os homens e 120 dias para as mulheres.

. Por que os homens podem doar sangue a cada 3 meses e as mulheres a cada 4 meses?

Devido à reposição dos estoques de ferro, que nas mulheres é mais demorada em virtude das perdas durante os ciclos menstruais.

. O material usado na doação é mesmo seguro?

Sim, todo o material usado, inclusive os kits, é estéril, descartável e apirogênico (não causam febre).

. Se eu doar sangue uma vez, sou obrigado a doar de novo?

Não. A doação de sangue é um ato solidário e voluntário, que depende da iniciativa de cada cidadão, e o retorno é o entendimento de que só nós somos a única fonte desse produto.

. É seguro doar sangue?

Sim, todo o material usado, inclusive os kits, é estéril, descartável e apirogênico.  Além disso, o doador passa por uma consulta, antes de doar, onde são avaliadas suas condições clínicas.

. É necessário estar em jejum para doar?

Não. É importante que o doador se alimente normalmente, evitando ingerir alimentos gordurosos no dia da doação. Após o almoço, é necessário esperar cerca de uma hora e meia para efetuar a doação de sangue.

. Corro algum risco de contaminação doando sangue?

Não. Todo o material utilizado é estéril, de uso único e descartável.

. Durante o período menstrual, a mulher pode doar sangue?

Sim, não há nenhum risco para a saúde da mulher na doação de sangue.

. Por que há garantia de liberação do trabalho no dia da doação?

Porque 1 (um dia) é suficiente para o doador descansar e recuperar o volume sanguíneo doado sendo particularmente importante para aqueles que exercem profissões que exijam esforço físico ou que possam comprometer a sua segurança pessoal ou de outras pessoas. (como motorista).

. É realizado algum exame no sangue doado?

Sim. Tipagem sanguínea, sorologia e NAT (teste do ácido nucleico) para hepatite C e HIV (vírus da Aids), sorologia para hepatite B, doença de Chagas, sífilis, e HTLV.

. É possível doar sangue fazendo uso de medicamentos?

Depende do tipo da medicação. No dia da doação, durante a entrevista, é realizada essa avaliação.

. Quais os cuidados que devo ter após a doação?

O doador deve alimentar-se bem, ingerir bastante líquido e evitar bebidas alcoólicas, bem como fumar nas primeiras duas horas e esforço físico no dia da doação. Em caso do aparecimento de queixas nos primeiros 15 dias após a doação, o doador deve retornar ao hemocentro e informar as queixas para esclarecimentos.

. O que é feito com o sangue doado?

O sangue é separado em hemocomponentes, como concentrado de hemácias, concentrado de plaquetas e plasma fresco. Após a realização dos testes laboratoriais, esses hemocomponentes são enviados aos hospitais para serem usados em pacientes que estão com sangramentos, em tratamento quimioterápico, para cirurgias, transplantes etc. O plasma excedente (que não foi utilizado nos pacientes) também poderá ser encaminhado à indústria de Hemoderivados – HEMOBRÁS, para produção de medicamentos que serão utilizados por pacientes portadores de doenças hemorrágicas.

. Se eu estiver em dúvida sobre a possibilidade de contaminação por algum vírus transmitido através da doação, devo doar sangue?

De forma nenhuma. O candidato com intenção de realizar os testes sorológicos não deve doar; primeiro porque os testes realizados não se prestam para diagnóstico e segundo porque existe a possibilidade de ele se encontrar em “janela imunológica”.

. O que é “janela imunológica”?

Janela imunológica corresponde ao período em que o organismo já está infectado, mas ainda não produz anticorpos suficientes para serem detectados nos testes da triagem sorológica. O tempo varia de doença para doença e, com o aperfeiçoamento dos testes e o desenvolvimento de outros, será possível a detecção cada vez mais precoce da infecção. Mas, por enquanto, é na entrevista de triagem clínica que se pode levantar informações sobre situações de risco para janela imunológica. Daí, a importância da sinceridade do doador ao responder as perguntas feitas na triagem.

. Por que quem recebeu transfusão só pode doar sangue um ano depois?

Porque quem recebeu transfusão de sangue há menos de um ano pode estar no período denominado “janela imunológica”, no qual as infecções nem sempre são detectadas nos exames. O prazo de 12 meses para a doação de sangue inclui uma margem de segurança, que considera a variação do período de janela imunológica das diversas doenças transmissíveis pelo sangue.

Deixe uma resposta