Minha Cidade, São Bernardo do Campo, Sua região

São Bernardo conscientiza doadores no Dia Mundial da Doação de Sangue

Para doar, basta ter entre 16 e 69 anos, levar documento com foto e pesar mais de 50 quilos. Foto: Ricardo Cassin/PMSBCA Prefeitura de São Bernardo vai reforçar hoje (14), Dia Mundial de Doação de Sangue, a conscientização sobre a importância do ato, buscando o aumento de doadores. O trabalho vai ocorrer em parceria com a Colsan (Associação Beneficente de Coleta de Sangue), que possui um banco de sangue regional na rua Pedro Jacobucci, 440, no Jardim das Américas.

A busca por mais coleta objetiva também aumentar o estoque, que atualmente está com 50% da capacidade total. Entre os meses de junho e julho, o número de doadores é reduzido, provocando a diminuição no volume da oferta. Segundo a captadora de doação, Nelci Couto Vanderly, a temperatura, os feriados e o período de férias acabam interferindo nas doações. “Ainda temos sangue nos estoques, mas por dia temos, em média, de 30 a 40 doações. O ideal era ter 100 doadores diariamente. Isso é preocupante, pois o hemocentro (banco de sangue) depende 100% da população para continuar fornecendo aos hospitais”, explicou Nelci.

A Colsan disponibiliza sangue para os hospitais municipais da cidade, sendo eles o Hospital Pronto Socorro Central, Hospital Anchieta, Hospital Municipal Universitário e Hospital de Clínicas.

Para o secretário de Saúde de São Bernardo, Geraldo Reple, a conscientização e a mobilização são essenciais na hora de ajudar quem necessita da doação. “Uma bolsa de sangue pode ajudar a salvar a vida de até quatro pessoas e precisamos incentivar a população a realizar este ato. Afinal, doar sangue é semelhante a doar vida. Vamos convocar todos os nossos familiares, amigos e vizinhos para reabastecer os estoques do município”, ressaltou Reple.

O operador de máquinas Eduardo da Silva, 23 anos se tornou doador há pouco tempo. Porém, reconhece a importância desse ato. “Essa é a segunda vez que eu doo, mas sei que a doação é essencial para ajudar quem está doente, no hospital, e precisando de sangue para continuar a viver. Se cada um fizer a sua parte, não teremos mais problemas com falta de sangue nos bancos da região”, destacou o operador.

Para ser doador

Para doar basta ter entre 16 e 69 anos de idade, levar um documento com foto e pesar mais de 50 quilos. O doador também passará por uma avaliação médica, antes do procedimento, em que será retirada uma amostra para análise de sorologia e anemia. A coleta dura em média 50 minutos e a retirada é de 405 ml a 495 ml. As mulheres podem doar até três vezes ao ano e os homens em quatro oportunidades.

Deixe uma resposta