Minha Cidade, Santo André, Sua região

Paulo Serra defende mudança no atendimento à população de rua

Paulo Serra ressaltou a dificuldade de convencimento para atendimento social. Foto: ArquivoO prefeito de Santo André, Paulo Serra (PSDB), defendeu que é preciso reformular o modelo de atendimento à população de rua no município. Durante evento realizado na avenida Oliveira Lima, na última terça-feira (7), Serra comentou a decisão da prefeitura de transferir o Centro POP (Centro de Referência Especializado para Pessoas em Situação de Rua), mais conhecido como Casa Amarela, da região central para outro bairro.

Na segunda quinzena de maio, chegou a ser divulgado que o equipamento seria transferido para o Jardim Paraíso, o que causou mobilização entre os moradores do bairro, que procuraram a Câmara Municipal para protestar contra a mudança. “Estamos vistoriando outros locais da cidade. Não há definição ainda”, declarou o prefeito. “Recebi uma comissão do Jardim Paraíso e pelos critérios que determinamos ficaria muito complicado mudar para um bairro residencial. O que não podemos é fechar o equipamento”, completou.

Paulo Serra destacou que mais do que um novo local, o que está sendo discutindo é o conceito do serviço prestado pela administração. “O que precisamos é fazer com que essas pessoas em situação de rua sejam reinseridas no mercado de trabalho. Esse é o grande desafio”, pontuou.

“Desde que lançamos o projeto “Recomeçar”, cadastramos 220 pessoas, só oito aceitaram participar do programa e não temos legislação que nos dê respaldo para obrigar, independentemente de ser usuário ou não de droga, a pessoa só vai para um programa desse se ela quiser”, pontuou.

Recomeçar

Lançado no final de março, o programa Recomeçar reúne série de medidas de atendimento para a população em situação de rua, que inclui auxílio para qualificação profissional e também ações educativas. “Apesar de todo trabalho das assistentes sociais, do diálogo, conversas, só oito pessoas aderiram ao programa e estão sendo reinseridas no mercado de trabalho. É ainda um índice muito baixo. Precisamos mudar o modelo e é o que estamos construindo”, destacou Serra.

“Precisamos tentar fazer com que essas pessoas não só sejam retiradas das ruas, tenham um local para minimamente sobreviverem no dia-a-dia, elas precisam voltar para a sociedade”, concluiu.

O prefeito reiterou que ainda não existe definição de onde a Casa Amarela será reinstalada, nem se há preferência pela região central da cidade. “Estamos estudando. Pessoas em situação de rua têm de receber um tratamento digno, mas repito, esse ciclo tem de se fechar. Não adianta só fazer assistência social e depois de um mês, dois meses, a pessoa volta para a rua porque não tem nenhuma perspectiva. Temos de reinseri-la no mercado de trabalho”, concluiu.

Deixe uma resposta