Em diálogo com empresário, Temer soube de plano para interferir em investigação | Diário Regional

Em diálogo com empresário, Temer soube de plano para interferir em investigação

19/05/2017 6:43
Print Friendly

A conversa mantida entre o empresário Joesley Batista e o presidente Michel Temer (PMDB) no Palácio do Jaburu revela que o peemedebista tomou conhecimento de um plano para destituir um procurador da República que investigava o grupo empresarial de Batista, mas não reagiu de forma contrária à estratégia. Também não há informação de que Temer tenha procurado a PGR (Procuradoria-Geral da República) ou outra autoridade para informar sobre o plano de interferência na operação policial relatado.

Batista disse ao presidente, no diálogo mantido em março, que estava “tentando trocar o procurador” que estava “atrás” do empresário. A reportagem apurou que se trata de uma referência a José Anselmo, o coordenador da força-tarefa da Operação Greenfield. Deflagrada em novembro, a Greenfield investiga uma série de supostos desvios em fundos de investimento em conexão com fundos de pensão de servidores públicos federais. A operação tinha como foco uma das empresas do grupo J&F, dos irmãos Joesley e Wesley Batista.

O executivo afirmou a Michel Temer que estava “dando conta” de dois juízes, os quais não identificou nominalmente, e que tinha conseguido colocar um procurador “dentro da força-tarefa” da Greenfield. O suposto informante é uma referência ao procurador Angelo Villela, que foi preso nesta quinta-feira (18) na Operação Patmos, e que entrou nos quadros da força-tarefa da Greenfield no dia 22 de março.

Meirelles

Batista também falou sobre a “ótima” relação que tem com Henrique Meirelles, ministro da Fazenda, mas faz algumas reclamações. O empresário diz que já conversou com Meirelles sobre o secretário da Receita Federal, Jorge Rachid, a presidente do BNDES, Maria Silvia Bastos, e o presidente do Banco Central, Ilan Goldfajn.

“Precisa mexer na Receita Federal, pô, o Rachid está aí há tanto tempo. (Meirelles teria respondido) ‘Ih não posso, (e também) BNDES é do (Ministério do) Planejamento, não’”, registra o áudio. Batista disse a Temer que já reclamou a Meirelles sobre o presidente do Cade. “(…) precisa ter presidente do Cade ‘ponta firme’”, afirma Batista.

“Eu queria ter alguma sintonia contigo para quando eu falar com ele, ele não jogar ‘ah não, o presidente’”, disse Batista. “Não deixa”, completou Temer. “Mas se eu falar e ele empurrar a você, quero poder dizer ‘olha’”, disse Batista. “Pode falar”, concordou o presidente.”

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: