Dolly é alvo de operação em Diadema por suspeita de fraude e sonegação de ICMS | Diário Regional

Dolly é alvo de operação em Diadema por suspeita de fraude e sonegação de ICMS

19/05/2017 7:00
Print Friendly

Segundo os agentes, fábrica de Diadema estaria funcionando irregularmente. Foto: Comunicação/Secretaria da FazendaA Secretaria de Estado da Fazenda deflagrou, ontem (18), a Operação Clone contra a Ragi Refrigerantes, que produz as bebidas da marca Dolly e mantém operações em Diadema. As empresas do grupo são acusadas de fraude no recolhimento do Imposto so­bre a Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS), obstrução à fiscalização e organização de fraude fiscal estruturada.

Segundo a Secretaria da Fazenda, a empresa tem cerca de R$ 2 bilhões em débitos inscritos na dívida ativa e autos de infração milionários.

Em nota enviada ao Diário Regional, a empresa afirma que “não praticou, tam­pouco compactua com qualquer ti­po de sonegação fiscal”.

A investigação sobre a Ragi Refrigerantes começou há um ano. A operação de ontem foi motivada pela suspeita de que, após ter a inscrição estadual cassada em Diadema, a empresa retomou atividades e simulou a produção de refrigerantes e sucos em estabelecimentos situados em outras regiões.

Foram alvo das diligências seis instalações do grupo: uma em Tatuí, no Interior do Estado; duas (escritórios) na Capital e três em Diadema, situadas em dois endereços – neles há uma fábrica e um depósito.

Participaram da operação procuradores do Estado e 24 agentes fazendários, dos quais 12 da Delegacia Regional Tributária do ABC, além de policiais militares do 24º batalhão da PM em Diadema.

Os agentes apreenderam documentos, equipamentos e arquivos digitais. “Em Diadema, constatamos o funcionamento irregular da fábrica, apesar de estar com a inscrição estadual cassada desde dezembro de 2016”, disse Marcio Garcia, delegado regional tributário do ABC. “O depósito poderia funcionar, desde que só recebesse produtos de outras unidades”, prosseguiu.

Garcia explicou que as inscrições estaduais das três empresas de Diadema foram suspensas até que a situação tributária seja regularizada. A secretaria relatou que, na última quarta-feira, houve ten­tativa de abertura de outra empresa no mesmo endereço, mas a inscrição foi bloqueada.

O fisco estadual alega também que as empresas do grupo têm deixado de responder a inúmeros comunicados desde o ano passado e jamais receberam fiscais da pasta para esclarecimentos. Informou ain­­da que identificou créditos vultosos de impostos relativos a supostas entradas de insumos nunca comprovadas, emitidas por empresas situadas em outros Estados.

O nome da operação faz referência à ovelha Dolly, primeiro mamífero a ser clonado.

Outro lado

Na nota, a empresa diz ainda que “foi vítima de seu escritório contábil – que, durante anos, omitiu do Fisco dados importantes, provocando des­falque milionário com falsi­ficação de sentenças, fraude de guias e documentos”.

“Um dos sócios do escritório contábil, inclusive, já prestou depoimento a favor da Dolly ao Ministério Público e à Polícia Federal em processo negociado por meio do instrumento de delação, assumindo o desvio do dinheiro que seria destinado ao pagamento dos impostos”, continua a nota da empresa, que diz ter o interesse de “esclarecer o mais rápido todos os fatos, con­tribuir com as investigações e provar sua inocência”.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: