Petrobras reajustará gás de botijão de 13 kg em 9,8% a partir de terça-feira | Diário Regional

Petrobras reajustará gás de botijão de 13 kg em 9,8% a partir de terça-feira

18/03/2017 6:52
Print Friendly

Preço do gás de botijão de 13 kg permaneceu congelado entre 2002 e 2015. Foto: ArquivoDezoito meses após o último reajuste, a Petrobras anunciou ontem (17) aumento no preço do gás de botijão para uso residencial. Em média, a alta será de 9,8% e começa a vigorar na terça-feira.

De acordo com a estatal, se o repasse for integral, o preço do produto para o consumidor subirá 3,1%, ou R$ 1,76 por botijão. Segundo a Agência Nacional do Petróleo (ANP), o preço médio do botijão nesta semana foi R$ 55,40.

As distribuidoras chamam o cálculo de “especulativo” e dizem que não é possível prever o repasse, já que o mercado é livre.

O reajuste vale apenas pa­ra o gás vendido em botijões de 13 kg, mais usados nas residências. O gás vendido em vasilhames maiores e o gás a granel para indústrias não terão aumento.
O reajuste anterior no preço do combustível ocorreu em agosto de 2015. Naquela ocasião, a alta foi de 15%.

Congelado 13 anos

Entre 2002 e 2015, o preço do gás vendido em botijões de 13 kg permaneceu congelado, como parte da política iniciada ainda no governo de Fernando Henrique Cardoso, após críticas do então candidato à Presidência José Serra sobre o impacto negativo de sucessivos reajustes em sua campanha.

Desde então, a Petrobras passou a praticar preços diferentes para o produto mais popular, que é vendido em botijões de 13 kg, e os outros mercados, que são atendidos em botijões maiores ou com vendas a granel.

O gás liquefeito de petróleo (GLP, nome técnico do gás de cozinha) vendido para a indústria teve seu último reajuste em dezembro.

As distribuidoras creem em uma estratégia de reduzir a diferença de preços entre o gás vendido para residências e o produto comercializado para a indústria.

Por isso, esperam novos aumentos no primeiro caso e reduções no segundo, informou o Sindicato Nacional das Distribuidoras de GLP (Sindigás).

Entre 2003 e o reajuste anunciado ontem pela Petrobras, o preço do GLP para botijões de 13 kg subiu 16,5% nas refinarias. Na revenda, a alta foi de 88% entre janeiro de 2003 e esta semana, segundo dados da ANP. No mesmo período, a inflação somou 135,8%.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: