São Bernardo rompe contrato com empresa que gerencia o Vera Cruz | Diário Regional

São Bernardo rompe contrato com empresa que gerencia o Vera Cruz

16/03/2017 6:50
Print Friendly, PDF & Email

Prefeito Orlando Morando vistoriou o Centro Áudio Visual. Foto: Gabriel Inamine/PMSBCA Prefeitura de São Bernardo encaminhou a rescisão de contrato de concessão com a Telem S A, assinado em agosto de 2015 pela gestão  Luiz Marinho (PT), que previa a concessão por 30 anos do Pavilhão Vera Cruz e do Centro Áudio Visual (CAV). Segundo a administração municipal, atrasos nos salários, cancelamentos de cursos e descumprimentos contratuais levaram à decisão de rescindir o acordo. A empresa tem até dez dias para apresentar a defesa.

Como solução, os espaços públicos serão coordenados exclusivamente pela Diretoria de Cultura, e dentro de 60 dias será publicado edital com chamamento público visando à retomada das aulas no CAV. Segundo a administração municipal, a grade de ensino deste ano foi cancelada pela Telem, sem justificativas.
Desde o início da gestão, a prefeitura tem acompanhado as ações da Telem, tendo identificado uma série de infrações em relação ao contrato vigente. Diante disso, notificou a empresa para que apresentasse defesa. A administração municipal encaminhou as informações levantadas em relação ao contrato para a Procuradoria-Geral do Município, que deu parecer pela rescisão.

Concessão

Em agosto de 2015, o antigo governo anunciou concessão para a Telem, com investimento na ordem de R$ 156 milhões para modernizar o Pavilhão Vera Cruz, retomando o espaço como Polo da Indústria do Cinema, semelhante ao que ocorreu nos anos de 1950, com Amácio Mazzaropi (1912-1981). A proposta, no entanto, não se concretizou.

Segundo a prefeitura, ao longo de quase dois anos, a Telem se caracterizou por uma série de problemas e, em relação ao Vera Cruz, nenhum projeto saiu do papel. A administração municipal informou que o espaço não possui o Auto de Vistoria do Corpo de Bombeiros ( AVCB) para promover atividades culturais. Em outro momento, o Complexo ficou perto de perder a autorização de utilizar nomenclatura original por falta de pagamento aos proprietários da marca Vera Cruz.

Segundo a prefeitura, com relação ao Centro Áudio Visual, a gestão se tornou alvo de reclamações, principalmente pela disposição do cronograma de cursos e ingerência administrativa.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: