Estado recorre a Marinho para destravar metrô | Diário Regional

Estado recorre a Marinho para destravar metrô

06/05/2014 8:23
Print Friendly

Marinho espera que o processo de licitação seja reiniciado de onde parou - Foto: Eberly Laurindo/Especial para o DRO prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho (PT), revelou ontem (6), após assembleia do Consórcio Intermunicipal ABC, que foi chamado pelos secretários estaduais Edson Aparecido (Casa Civil) e Julio Semeghini (Planejamento e Desenvolvimento Regional) para interceder junto ao conselheiro do Tribunal de Contas do Estado (TCE) Antônio Roque Citadini sobre a licitação da Linha 18-Bronze do Metro (Tamanduateí – Djalma Dutra), suspensa no início de abril. Segundo o petista, o “imbróglio” pode ser resolvido até o fim deste mês.

A conversa com os dois integrantes do governo esta­dual ocorreu no dia 26 de abril. Segundo o prefeito, Edson Aparecido e Semeghini pediram ao petista que falasse com Citadini para dar algum andamento ao caso. A conversa com o conselheiro ocorreu por telefone. “Disse a ele (Citadini) que as decisões do tribunal poderão atrasar a consolidação da Linha 18 e isso trará prejuízo a todo o Estado, principalmente ao ABC. Então ponderei ao conselheiro sobre os passos seguintes”, explicou.

Segundo Marinho, Antônio Roque Citadini garantiu que vai tratar do caso com “rapidez”. “A expectativa é de que o Tribunal de Contas desate esse nó, destrave essa licitação da Linha-18 para que (o governo do Estado) possa consolidar a licitação e tenha o conhecimento de quem ganhou essa licitação, para que assim possamos pensar no cronograma de construção”, disse o petista.

O TCE determinou a suspensão da concorrência internacional após pedido da empresa PL Consultoria Financeira, que contestou o processo licitatório. A PL alegou que existem apenas duas empresas no mundo que fabricam os monotrilhos: a Bombardier, do Canadá, e Hitachi, do Japão. A empresa também alega na ação que algumas cláusulas do edital “inviabilizam a competição e, em consequência disso, comprometem a eficácia do sistema”.

Marinho aproveitou para alfinetar o governo estadual. “É uma concorrência internacional. Não imagino que só existam duas empresas no mundo que podem participar de uma concorrência internacional. Muito estranho”, comentou o prefeito.

Segundo o conselheiro do TCE afirmou em seu parecer, a “a matéria é, ainda que indiretamente, objeto de investigação de suposto cartel no mercado de licitações públicas relativos a projetos de metrô e/ou trens”.

Do mesmo ponto

A expectativa do Consórcio Intermunicipal e do governo do Estado é que a licitação volte a ser realizada exatamente do ponto em que parou. Segundo o cronograma oficial, o processo licitatório seria encerrado no dia 16 de abril, mas foi suspenso cinco dias antes. A ordem de serviço seria dada pelo Estado em junho e a obras seriam iniciadas em outubro. Ainda não se sabe em quanto tempo o cronograma será atrasado.

O edital da Parceria Público-Privado (PPP) foi lançado no fim de janeiro. Serão investidos R$ 3,5 bilhões, dos quais R$ 1,276 bilhão oriundo do Estado, R$ 400 milhões da União e R$ 1,861 bilhão da iniciativa privada. A linha fará a ligação entre as estações Tamanduateí (Linha 2-Verde), na zona leste da Capital, até Djalma Dutra, em São Bernardo, passando por San­to André e São Caetano.

 



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: