Confronto entre Exército e separatistas deixa 24 mortos na Ucrânia | Diário Regional

Confronto entre Exército e separatistas deixa 24 mortos na Ucrânia

06/05/2014 10:19
Print Friendly

Ao menos quatro soldados ucranianos e 20 milicianos e manifestantes pró-Rússia morreram ontem (5) em confronto no quarto dia de ofensiva do Exército da Ucrânia contra Slaviansk, bastião rebelde do leste do país. Ontem, as forças ucranianas controlaram a torre de TV de Slaviansk, que fica no vilarejo de Andriivka, entre a cidade e Kramatorsk. Mais tarde, milicianos pró-Rússia derrubaram um helicóptero militar Mi-24 com rajadas de armas automáticas.

De acordo com o Ministério do Interior, o aparelho caiu em um rio e os tripulantes conseguiram deixá-lo sem problemas. Segundo o ministro do Interior, Arsen Avakov, quatro soldados morreram e outros 30 ficaram feridos em outros combates na região.

Avakov afirma que os combates na região são intensos e que os milicianos pró-Rússia teriam recebido reforço de veteranos de guerra e militares que serviram nos Exércitos soviético, russo e ucraniano. O comandante dos milicianos locais, Igor Strelkov, disse que ao menos dez combatentes morreram e 25 ficaram feridos em ataque a um posto de controle.

O canal Russia Today informou que outras 12 pessoas morreram em combates perto de Slaviansk ontem. Os números totais ainda não foram confirmados pelas autoridades ucranianas e pelos milicianos, que tomam desde o início de abril a região de Slaviansk.
O grupo quer a independência da Província de Donetsk, uma das principais do leste ucraniano, e desejam anexá-la à Rússia. O governo ucraniano, que é apoiado pelos EUA e pela União Europeia, considera os milicianos terroristas e acusa a vizinha Rússia de ter influenciado a revolta.
Moscou, por sua vez, acusa Kiev de agir com truculência contra os separatistas e de apoiar grupos neonazistas para combater no leste do país.

Odessa

A situação se agravou na semana passada, quando os ativistas pró-Rússia começaram a se rebelar em Odessa, cidade no sul ucraniano, onde 40 pessoas morreram em incêndio em um prédio tomado por manifestantes na última sexta-feira.

Ontem, o presidente ucraniano, Oleksander Turchinov, disse que seu governo é alvo de guerra que, segundo ele, fracassou na cidade. “As autoridades funcionam em Odessa. Os separatistas enfrentam resistência dos patriotas locais.”

No último domingo, no entanto, os ativistas pró-Rússia conseguiram liberar 67 colegas presos após atacarem delegacia da cidade. Após a libertação dos presos, o Ministério do Interior exonerou toda a cúpula da polícia local e transferiram outros 42 presos que permaneciam na cidade.

Mais cedo, a Chancelaria russa divulgou um informe sobre a violação de direitos humanos na Ucrânia, acusando grupos de extrema-direita e neonazistas de terem cometido crimes contra a população do leste do vizinho. No comunicado, a Rússia pede à comunidade internacional que não tome partido na crise ucraniana e busque uma solução para o conflito.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: