ABC tem 15 mil imóveis em fase de projeto | Diário Regional

ABC tem 15 mil imóveis em fase de projeto

20/04/2014 12:40
Print Friendly

Municípios precisam planejar infraestrutura do entorno dos novos empreendimentos. Foto: Eberly Laurindo especial para o DRA região tem mais de 15 mil unidades residenciais aprovadas que estão em construção ou em fase de projeto. Os números foram informados pelas prefeituras de São Caetano (os números se referem aos empreendimentos aprovados desde 2011), Diadema, Mauá e Ribeirão Pires e somam empreendimentos sociais, como Minha Casa, Minha Vida e Casa Paulista, e também particulares. As cidades de Santo André, São Bernardo e Rio Grande da Serra não informaram os dados.

Em São Caetano, desde 2011, foram autorizadas a construção de 3.909 unidades habitacionais e criação de 6.415 vagas de estacionamentos para as residências. A prefeitura informou que para enfrentar os desafios do aumento da população trabalha pelo incremento no número de vagas em escolas – a previsão é construir uma nova Escola Municipal de Ensino Fundamental e reformar as já existentes. Na saúde, a administração trabalha em busca de parcerias para a reativação total do Hospital São Caetano, o que ampliaria o número de leitos na rede municipal.

Diadema conta com 4.589 unidades aprovadas, da quais 2.353 são de projetos sociais e 2.236 de empreendimentos particulares, mais 3.272 unidades (todas particulares) em fase de análise. A administração informou que “os estudos sobre impactos das necessidades locais da população a mais na cidade deveriam ser feitos antes da construção dos empreendimentos, mas que, invariavelmente, não são realizados. Quando existem, são trocados por contrapartidas com os empreendedores”.

Alvarás
Mauá informou que existem 4,6 mil unidades de apartamentos com projetos aprovados e alvará de construção expedido ou em construção na cidade, todos de empreendimentos particulares. Outras 1.736 unidades já estão viabilizadas por meio de programas sociais.

Para mitigar os impactos, a administração cita obras de mobilidade como construção da marginal da avenida Washington Luiz com cerca de dois quilômetros de extensão, para viabilizar a ligação ao complexo viário Jacu Pêssego. Na Saúde, 16 das 23 unidades básicas de saúde (UBSs) serão reformadas ou ampliadas.

Em Ribeirão Pires está em projeto a construção de 560 unidades habitacionais de interesse social, que devem ter início no segundo semestre deste ano. A prefeitura não informou quais são as ações para aumento da oferta de serviços como escolas, unidades de saúde ou mobilidade.

O professor de Planejamento Urbano e Metropolitano da Universidade Federal do ABC (UFABC), Joel Pereira Felipe, explica que os planos diretores têm o papel de regular da melhor forma o uso e ocupação do solo, garantindo, por meio de mecanismos legais, que grandes empreendimentos compensem o impacto e possibilitem que as prefeituras continuem oferecendo serviços públicos, mesmo com o aumento da população. “Essa é uma discussão que deve envolver toda a sociedade, pois os impactos são coletivos”, afirmou.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: