Tese de doutorado discute conflitos de interesse na cesariana | Diário Regional

Tese de doutorado discute conflitos de interesse na cesariana

15/04/2014 7:47
Print Friendly

Brasil contabiliza 52% de cesarianas considerando os sistemas público e privado. Foto: ArquivoO Brasil é o campeão mundial de cesarianas. Enquanto a Organização Mundial de Saúde recomenda que no máximo 15% dos nascimentos ocorram por via cirúrgica, o país contabiliza 52% de cesarianas considerando os sistemas público e privado. Em hospitais particulares, a taxa pode ultrapassar 90%. No ABC, levantamento feito em 2013 pelo Diário Regional constatou que nos hospitais privados da região a taxa de cesariana, até agosto, era de 87,5%.
A doutora em Ciências e moradora de São Caetano Deborah Delage apresentou na semana passada, na Faculdade de Saúde Pública da USP, sua tese de doutorado “Conflito de Interesses nas Decisões por Cesariana”.
Deborah procurou iden­tificar na literatura científica sobre cesarianas a presença do conceito de conflitos de interesses (quando o interesse secundário, no caso o do médico ou da instituição se sobrepõe ao interessa primário, ou seja, da gestante) e como eram tratados. “O que encontrei foi um grande silêncio. Ou a nomeação de formas diferentes, como ‘indução de demandas’, ‘incentivos financeiros’ ou ‘conveniência’”, afirmou.

Humanização
Profissional de saúde e militante pelo parto humanizado, Deborah, que é uma das coordenadoras do Grupo Maternamente de Apoio à Maternidade Ativa no ABC, destacou que no dia-a-dia, esses conflitos estão muito claros. “São cesarianas sem indicação médica precisa, sem a real necessidade. Os motivos são mais a organização da vida do médico, das consultas com as cirurgias, do que as necessidades da mãe e do bebê”, completou.
Deborah acredita que a tese recém-apresentada sirva de ponto de partida para outras pesquisas, com entrevistas de mulheres e médicos, para que o assunto seja mais debatido. “A academia precisa defender os interesses da sociedade. As pesquisas devem refletir a realidade”, concluiu. (AM)

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: