Presidenciáveis criticam gestão de Juvenal | Diário Regional

Presidenciáveis criticam gestão de Juvenal

15/04/2014 7:06
Print Friendly

Aidar adiantou que Muricy fica no clube; Abdalla quer Marco Aurélio na administração. Foto: ArquivoO São Paulo elege amanhã (16) seu presidente para os próximos três anos. Grande favorito, Carlos Miguel Aidar é o representante da situação enquanto Kalil Rocha Abdalla lidera a oposição. Embora sejam adversários, ambos entendem que o futebol do São Paulo deva passar por grandes mudanças.

A análise de Aidar – candidato do atual presidente, Juvenal Juvêncio – é que o futebol está preso a um modelo acomodado, que o impede de reagir às crises. Aidar afirma estudar uma renovação estrutural. Ou seja, mudará a diretoria do futebol, mas já adiantou que o técnico Muricy Ramalho fica.

As contratações para reforçar o time serão feitas a partir de consenso entre o técnico e um diretor de futebol, cujo nome não foi revelado. O candidato também defende transformar o centro de treinamento de Cotia em um modelo de negócio, que, além de revelar atletas, dê retorno financeiro para o São Paulo.
Abdalla, por sua vez, também garante a permanência de Muricy e quer que Marco Aurélio Cunha, conselheiro do clube e vereador paulistano, seja o administrador do departamento de futebol. Entre suas propostas, pretende diminuir os gastos do clube com folha salarial e até pensa em, futuramente, usar o contrato de produtividade, como o Palmeiras já faz.

Entre as prioridades, os candidatos também falam em reaproximar o São Paulo de outras entidades. Sob a batuta de Juvenal, houve atrito com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF), a Federação Paulista de Futebol (FPF), os rivais e a TV Globo. A primeira entidade com quem desejam reatar é a CBF, que tem eleição amanhã. Marco Polo Del Nero, presidente da FPF, é candidato único.

No São Paulo, a escolha do presidente é definida por meio dos votos dos conselheiros – 155 deles são vitalícios e outros 80 foram eleitos no último dia 5 de abril. A situação conseguiu eleger 62% dos 80 eleitos, o que deixa Aidar muito próximo do cargo. Abdalla diz que tem, no máximo, 2% de chance, mas se manteve no pleito para mostrar que a oposição insistirá no debate.

Juvenal
O atual presidente não foi encontrado até o início da noite de ontem para responder às críticas. Em entrevista à Folha de S.Paulo, publicada ontem, havia apontado entre os seus legados a construção do centro de treinamento de Cotia e a modernização do CT da Barra Funda. Também lembrou o tricampeonato do Brasileiro (2006, 2007 e 2008).

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: