Sabesp cogita pela primeira vez rodízio de água em São Paulo | Diário Regional

Sabesp cogita pela primeira vez rodízio de água em São Paulo

10/04/2014 7:39
Print Friendly

Sistema da Cantareira registrou mais novo recorde negativo: 12,5%. Foto: ArquivoDocumento divulgado pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) cita oficialmente, pela primeira vez, a possibilidade de um rodízio de água este ano na região metropolitana de São Paulo. Metade das cidades da região é abastecida pelo Sistema da Cantareira que ontem (9) registrou mais novo recorde negativo: o nível baixou de 12,7% para 12,5%.

O Relatório Anual de Sustentabilidade de 2013, publicado no final do mês passado, afirma que medidas drásticas poderão ser tomadas. “Se as chuvas não retornarem a índices adequados e, consequentemente, os níveis dos reservatórios não forem restabelecidos, poderemos ser obrigados a tomar medidas mais drásticas, como o rodízio de água”.

O documento sugere que a escassez hídrica do Cantareira está relacionada à estiagem e ao baixo volume de água armazenado. “A seca se agravou no final de 2013 e início de 2014, com as precipitações bem abaixo da média histórica, resultando em uma redução do nível dos reservatórios durante a estação das chuvas, entre outubro e março, no Sistema Cantareira”, informa o texto.

O governador Geraldo Alckmin (PSDB) confirmou ontem que o racionamento de água no Estado de São Paulo não está descartado. “Não descartamos o rodízio (…) Vamos avaliar diariamente, no momento não há necessidade”, disse o governador em evento na Capital.

Entretanto, Alckmin diz que a aplicação dessa medida deve ser feita apenas após uma análise. “Não é questão de segurar (um racionamento), é de avaliar. O rodízio promove uma redução. Se você consegue essa redução sem o rodízio, melhor”, explicou Alckmin.

Para o governador, as medidas de redução do consumo implementadas até o momento, somadas a obra estruturais, são suficientes para contornar a recente escassez de chuva nos sistemas hídricos que abastecem o Estado, especialmente o Cantareira. Alckmin disse que a decisão de adotar ou não um racionamento será “técnica”.

“O rodízio não está descartado e vai ser monitorado pelos técnicos que vão acompanhar esse trabalho. Essa é uma avaliação técnica que está sendo feita diariamente, e nós temos uma boa expectativa de redução de consumo em toda a região metropolitana, que vai ser importante para essa avaliação feita cotidianamente”, disse.

Um inquérito civil do Ministério Público de São Paulo (MP-SP) aberto esta semana vai apurar se houve erros de gestão da Sabesp. Há suspeita de falhas na precaução contra as adversidades climáticas. O contrato de outorga vence no próximo dia 5 de agosto e sua renovação é vista com cautela por parte da Agência Nacional de Águas (ANA). Na portaria sobre a atual outorga, emitida em 2004 pelo Departamento de Águas e Energia Elétrica (Daee) do estado, consta que a Sabesp deveria providenciar estudos e projetos para reduzir a dependência do Sistema Cantareira e garantir o abastecimento.

A assessoria de imprensa da Sabesp informou que está elaborando nota para comentar o assunto.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: