Índio é impedido de ficar em reunião da base | Diário Regional

Índio é impedido de ficar em reunião da base

09/04/2014 10:00
Print Friendly

Índio: “governo caiu de dez (na primeira gestão de Marinho) para zero (na segunda)”. Foto: ArquivoO vereador de São Bernardo José Alves da Silva, o Índio (PR), foi convidado a se retirar de reunião da bancada governista com integrantes do Executivo, ontem (8). Segundo o republicano, o motivo alegado pelo secretário de Governo, José Albino, é que o parlamentar “faz parte da oposição”. Essa é a primeira retaliação à assinatura do governista ao requerimento que pede a instauração da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para que seja investigada a suspeita de superfaturamento na compra de kits de uniformes escolares pela prefeitura. O vereador indicou que adotará postura independente na Casa.

O “convite” de Albino surpreendeu o vereador. “Quando (José Albino) me disse que eu era da oposição, respondi: ‘é você que está dizendo’. Não faço parte da oposição. Se falo que estou com uma pessoa é porque estou com essa pessoa até o fim”, argumentou Índio. “Essa questão da CPI é pontual. Volto a dizer: não tenho nada contra o prefeito Luiz Marinho (PT)”, continuou o republicano – que, apesar de não manifestar descontentamento com o chefe do Executivo, reclamou da condução de algumas áreas do governo, como Saúde, educação e segurança. “O governo caiu de dez (na primeira gestão de Marinho) para zero (na segunda).”

Antônio Cabrera (PSB) e Paulo Dias (PT) afirmaram que o republicano não chegou a entrar na sala de reuniões, mas também compartilham da opinião do secretário de que Índio não faz mais parte da situação. “O Índio já está na oposição. Ao menos é essa a impressão. Não há nada oficial, mas as últimas informações sobre ele em alguns jornais da região demonstram que já faz parte da oposição”, afirmou o socialista, ressaltando que “o clima dele com a bancada (governista) já está bem diferente”.

“Não tenho a menor ideia do que se passa na cabeça do Índio. Não posso emitir opinião sobre ele, mas no meu caso sou do PT e nunca disse que estaria fora da base do governo Marinho”, opinou Dias.
Índio disse desconhecer como ficará sua situação com Luiz Marinho e espera o retorno do prefeito de uma viagem a Israel para encontrá-lo. Enquanto is­so, o republicano aguarda a reação dos outros vereadores da base aliada durante a sessão de hoje (9). “Temos um acordo segundo o qual nenhum vereador da base ataca outro. Agora vamos ver como ficará a fidelidade deles”, explicou.

Oposição
A oposição aguarda o posicionamento do republicano para decidir sua próxima ação. “Não procuramos o Índio para conversar, pois é uma questão de respeito. Porém, esse episódio (de ontem), se confirmado, mostra que o governo age de forma arbitrária e ditatorial. Se o vereador não faz o que mandam, eles tiram fora”, opinou Julinho Fuzari (PPS).

O popular-socialista afirmou que Índio agiu de forma independente. “Foi uma questão pontual. Ele não é contra o governo, só viu que tinha algo de errado (na compra dos kits) e assinou o requerimento”, afirmou.
Na reunião com o governo, a base também decidiu que não vai convocar a secretária de Educação, Cleuza Repulho, para dar explicações sobre o caso, mesmo com o pedido de prisão preventiva feito pe­los promotores do Ministério Público. “Não tem necessidade de dar explicações. Daremos apoio à secretária, isso é o que faremos”, disse Paulo Dias.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: