Russell Crowe volta às telonas em 'Noé' | Diário Regional

Russell Crowe volta às telonas em ‘Noé’

02/04/2014 7:00
Print Friendly, PDF & Email

O ator australiano Russell Crowe dá vida a Noé. Foto: DivulgaçãoA famosa história bíblica da arca de Noé virou uma superprodução cinematográfica que estreia amanhã (3) em cerca de 900 salas pelo país. Nos Estados Unidos, onde estreou na semana passada, “Noé”, do diretor Darren Aronofsky (que fez “Cisne Negro”), conquistou o primeiro lugar nas bilheterias.

O ator australiano Russell Crowe dá vida a Noé, o homem que recebe de Deus a missão de construir uma arca para salvar um casal de cada espécie animal de um grande dilúvio, que teria como objetivo castigar a raça humana, que, com ganância e egoísmo, transformou o mundo em uma grande guerra.

“Noé é o escolhido por ser um homem bom. Deus sabia que iria completar essa difícil tarefa”, explica Crowe. Fica nas mãos dele, porém, decidir se a raça humana será ou não extinta no novo mundo. “Porém, a escolha não é dele. É um servo de Deus”, continua o ator.

Além de trabalhar duro para construir a arca, Noé, sua mulher Naameh (Jennifer Connelly), seus filhos Shem (Douglas Booth) e Ham (Logan Lerman) e a adotada Illa (Emma Watson) terão de enfrentar uma multidão que, com o início da chuva, tenta invadir a arca para sobreviver.

Deixar que as pessoas morram, mesmo com espaço sobrando na arca, é o mais difícil para os personagens. E nesse momento surgem as cenas mais fortes do filme.

Para Crowe, que acredita que a história seja verdadeira depois de estudá-la e encontrá-la em várias religiões, o longa gera reflexão. “Estimula a discussão sobre o papel do homem. Para quem tem fé ou não.”

Russell Crowe aceitou protagonizar “Noé” não apenas por ser uma superprodução de grande visibilidade. O ator revelou que se identifica bastante com o tema. “Darren Aronofsky é um ativista vegetariano, e eu amo os animais, tenho uma profunda conexão com eles.”

Continua: “Acredito que a forma como olhamos os bichos explica a nossa sociedade. Se mudarmos o jeito que os tratamos, mudaremos também o modo como nos relacionamos”, destaca.

Por isso, a história de um homem que salva os animais, criaturas puras, de um dilúvio que castiga a raça humana, o interessou tanto. O ator ainda afirma que filmar a história da arca de Noé sempre foi o sonho do diretor americano. “Escreveu um poema sobre Noé aos 13 anos e sempre sonhou com esse filme, mas teve que fazer produções menores até conseguir um bom orçamento para esse”, conta Crowe, sobre o longa de US$ 125 milhões.

Palavras-chave:


Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: