Grana está descrente de Parque Tecnológico | Diário Regional

Grana está descrente de Parque Tecnológico

01/04/2014 12:02
Print Friendly, PDF & Email

Grana diz que consolidação depende de financiamento dos governos do Estado e federal . Foto: ArquivoO projeto que autorizou a implementação de Zona Especial de Empreendimentos de Base Tecnológica (ZEBT) em área de 200 mil metros quadrados em Santo André – e que, na prática, viabilizou a criação de parque tecnológico na cidade – foi aprovado na Câmara no fim do ano passado em regime de urgência. Porém, o projeto voltou para a gaveta do Paço.

A prefeitura não recebeu os valores esperados em programas de incentivo à inovação, inicialmente avaliados em R$ 26 milhões. A cifra poderia viabilizar a estrutura básica do parque para que empresas desenvolvessem tecnologia de ponta. Os terrenos na Avenida dos Estados e no Parque Andreense tinham até um projeto urbanístico elaborado pelo arquiteto Pedro Taddei, responsável pelo parque de São José do Campos, no Vale do Paraíba “Temos sempre de ser eficientes na busca de novos projetos. Então, isso depende dos governos do Estado e federal”, comentou o prefeito Carlos Grana (PT).

A Câmara rejeitou projeto de criação do parque elaborado pelo então prefeito Aidan Ravin (PSB) em votação realizada em 2012. Na ocasião, seis vereadores petistas, um do DEM e outro do PSD votaram contra a proposta, alegando que um dos terrenos estaria contaminado. À época, divulgou-se que empresas multinacionais como Microsoft estariam interessadas em se instalar no parque andreense.

O assunto esfriou e foi retomado no segundo semestre do ano passado, primeiro ano de gestão de Grana. A vice-prefeita Oswana Famelli (PRP) tomou a frente da iniciativa e, em duas ocasiões, foi ao Legislativo tirar dúvidas dos vereadores quanto à matéria. A pressa era justificada pelo pré-credenciamento da iniciativa no Sistema Paulista de Parques Tecnológicos (SPTec), que poderia liberar R$ 20 milhões. Outros
R$ 6 milhões eram esperados da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep), vinculada ao Ministério da Ciência e Tecnologia.

Questionado sobre se o parque corre o risco de continuar no papel, Grana comentou de forma genérica que “tudo no setor público corre o risco de se consolidar ou não”. A criação do parque também implicaria em outros projetos, como a concessão de incentivos fiscais às empresas que por ventura se instalassem lá, como a redução do Imposto sobre Serviços (ISS) para 2%.

Exemplos
O Estado de São Paulo tem seis parques consolidados, sendo o São José o primeiro a ser instituído. Sorocaba, Ribeirão Preto, Piracicaba, Santos e São Carlos também têm parques tecnológicos. A iniciativa so­rocabana, por exemplo, conta com a participação da diversas instituições de ensino, como USP, Unicamp e Unesp. Santo André integra o grupo de 14 parques pré-credenciados, como Araçatu­ba, Botucatu e Campinas, en­tre outras iniciativas.

Palavras-chave:


1 Comentário

  • Andreense

    Tá bom agora cadê as promessas de sua candidatura????
    Já se foram quase 1,5 ano de mandato a até agora muito pouco se fez… Jogar a culpa nos outros e arranjar desculpas de pq não fez sempre foi a bandeira do PT.

Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: