Ribeirão Pires terá triagem de glaucoma em escolas | Diário Regional

Ribeirão Pires terá triagem de glaucoma em escolas

29/03/2014 15:00
Print Friendly

Casos mais graves serão encaminhados para especialistas - Foto: DivulgaçãoA Secretaria de Educação, Inclusão e Tecnologia de Ribeirão Pires vai realizar, em parceria com a Associação de Prevenção, Atendimento Especializado e Inclusão da Pessoa com Deficiência (Apraespi), atendimentos oftalmológicos em alunos da rede municipal. O objetivo é detectar precocemente casos de déficit de visão entre estudantes e até problemas mais graves, como o glaucoma.

O glaucoma é uma doença do nervo óptico, geralmente causada por aumento da pressão ocular. Estima-se que no Brasil 900 mil pessoas sofram com a doença. O tipo mais comum é o glaucoma crônico de ângulo aberto, que responde por cerca de 80% dos casos. A doença não apresenta sintomas. Inicialmente o paciente perde o campo de visão (periférica), devido à atrofia nos nervos ópticos, podendo perder completamente a capacidade de enxergar.

Oftalmologista da Apraespi treinou os coordenadores das escolas municipais para realizar a triagem em sala de aula. Os alunos que apresentarem dificuldade de leitura serão encaminhados para atendimento. A avaliação de doenças como glaucoma será feita pelo próprio oftalmologista. “A Apraespi é uma importante parceira da prefeitura. Estamos começando o trabalho este ano e a ideia é que alcance todas as escolas”, afirmou o secretário de Saúde do município, Koiti Takaki.

Novas instalações

A Apraespi inaugurou na manhã de ontem (28) o quarto andar do Hospital Dia, que vai abrigar os atendimentos realizados com recursos destinados após o credenciamento da entidade como CER IV (Centro Especializado em Reabilitação IV), concedido pelo Ministério da Saúde a unidades que atendem os quatro gêneros de deficiências: física, auditiva, visual e intelectual.

A entidade filantrópica é a única do Estado que atende pessoas com os quatro gêneros deficiência e realiza cerca de 2 mil atendimentos por dia. “Infelizmente, a demanda pelos nossos serviços nunca termina. Porém, com esse novo incentivo vamos poder ampliar ainda mais o número de pessoas atendidas”, explicou a superintendente, Lair Moura.

Além dos recursos do Ministério da Saúde, a construção do novo andar do Hospital Dia foi realizada com doações da população e da Fundação Salvador Arena. A superintendente aproveitou a solenidade para pedir o aumento no repasse de recursos do governo federal para a entidade. “Desde 2009, nosso convênio que era de R$ 7 mil foi reduzido para R$ 5 mil ao ano. Esse recurso faz muita diferença e a redução houve apenas por divergências políticas com a antiga gestão”, esclareceu Lair. Segundo Koiti Takaki, as tratativas para o aumento do repasse estão em curso.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: