Alckmin anuncia R$296,3 mi e paga bônus de até 2,9 salários para funcionários | Diário Regional

Alckmin anuncia R$296,3 mi e paga bônus de até 2,9 salários para funcionários

29/03/2014 12:50
Print Friendly, PDF & Email

SÃO PAULO – O Governo de São Paulo pagará este ano R$ 700 milhões em bônus por resultado para mais de 255 mil funcionários da Secretaria da Educação. Na Capital e Região Metropolitana são R$ 296,3 milhões e 123,8 mil servidores contemplados. O valor geral do bônus representa aumento de cerca de 24% no número de servidores do Estado beneficiados com até quase três salários a mais, em comparação ao ano passado (quando 206 mil receberam).

A ampliação acarreta acréscimo de R$ 100 milhões do que foi pago em 2013. Do total, 206 mil contemplados com o bônus são professores, dos quais 47 mil ganharão mais de R$ 5 mil (16 mil deles recebendo mais de R$ 8 mil).

“A educação é um desafio permanente, que exige esforço e dedicação. Nada mais justo, portanto, que reconhecer o trabalho dos profissionais dessa área não só por meio de uma política inédita de valorização salarial, mas também com a bonificação por desempenho”, destacou o governador Geraldo Alckmin.

O pagamento aos funcionários da rede estadual acontecerá na próxima segunda-feira (31). O governo do Estado tem política de valorização por mérito desde 2008. Todos os funcionários (incluindo diretores, professores, educadores e equipe de limpeza) das escolas que atingiram ou superaram as metas estabelecidas pelo Índice de Desenvolvimento da Educação do Estado de São Paulo (Idesp) podem ganhar até 2,9 salários a mais por merecimento. Se atingida a meta do Idesp, o bônus é de 2,4 salários. Se superada a meta, o limite de bônus é de 2,9 salários. Se não atingida a meta, é calculado o avanço da escola (se avançou, por exemplo, 50% da meta, o bônus é de 1,2 salário).

Faltas

As faltas dos profissionais são consideradas no cálculo do bônus. Para receber a bonificação os professores devem ter atuado, no mínimo, em dois terços do ano. Ou seja, devem ter trabalhado pelo menos durante 244 dias. No caso de faltas, haverá desconto proporcional no valor do benefício. São permitidas por lei apenas ausências decorrentes de licença-maternidade, licença-paternidade, adoção e férias.

“Os resultados estão mostrando avanços importantes nos primeiros anos do ensino fundamental, na alfabetização dos alunos com 7 anos e no novo modelo de escolas de tempo integral, entre outros. Porém, há muito o que avançar, e o empenho destes profissionais será fundamental para continuar melhorando a educação em São Paulo”, completa Alckmin.

Além dos professores, que receberão o bônus de acordo com o resultado do nível de ensino que atuam, também são contemplados diretores, supervisores, professores-coordenadores, agentes de organização escolar, agentes de serviços escolares, assistentes de administração, secretários de escola e demais profissionais da Educação. A equipe escolar recebe de acordo com a média da unidade. Dirigentes regionais de ensino e supervisores ganham pela média das escolas das respectivas re­giões.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: