Desempenho em mata-matas motiva Santos | Diário Regional

Desempenho em mata-matas motiva Santos

26/03/2014 10:05
Print Friendly

Aranha: “Vamos tentar manter o futebol excelente da primeira fase” - Foto: Ricardo Saibun/Santos FCDesde que o Campeonato Paulista adotou novamente o sistema de mata-mata na reta final, em 2007, só duas vezes o melhor time da primeira fase sagrou-se campeão. Em ambas, foi o Santos, em 2007 e 2010. Líder da atual edição, o clube do litoral tenta confirmar outra vez esta regra a partir de hoje (26), às 19h30, contra a Ponte Preta, na Vila Belmiro, pelas quartas de final.

“Vamos tentar manter o futebol excelente”’, disse o goleiro santista Aranha, vice-campeão em 2008 com a Ponte Preta. “Acredito que a torcida está gostando do time, apesar de ser arriscado, porque a gente se expõe bastante. Porém, não dá para mudar agora”, advertiu.

Nas outras duas vezes em que ficou com a taça nesta fórmula de disputa, a equipe santista foi quarta colocada na fase inicial de 2011 e terceira no ano seguinte. A vantagem de ter a campanha superior é jogar em casa. O empate provoca uma disputa de pênaltis. Por isso, o elenco do Santos treinou cobranças ontem à tarde – o reserva Vladimir foi para o gol.

Como os integrantes da mesma chave não se enfrentaram, santistas e pontepretanos vão duelar pela primeira vez neste ano. Como visitante neste Estadual, a Ponte acumula cinco derrotas e duas vitórias. Já o Santos venceu seus oito jogos na Vila Belmiro, com média de 3,25 gols marcados e 0,62 gols sofridos. Seu único revés no Estadual foi a goleada por 4 a 1 em Penápolis.
Poupados no domingo, na vitória por 2 a 1 sobre o Palmeiras, voltam à escalação santista o zagueiro Jubal, o lateral direito Cicinho, os meias Arouca e Cícero e o atacante Leandro Damião.

Pênaltis

Enquanto seu camisa 1 mantinha a forma física na academia, a equipe ensaiou cobranças de pênaltis. O goleiro reserva Vladimir se destacou com várias defesas. Único jogador a dar entrevista, Aranha contou que estava se recuperando do desgaste das partidas e minimizou a importância do treinamento de cobranças de penalidades máximas.

“Vi muita gente que treinou muito pênalti e na hora errou, e gente que nem estava na lista (de cobradores) e fez gol. Apesar de ter técnica e a preparação para cobrar, o (fator) psicológico acaba sendo importante”, afirmou o goleiro santista.

Vice-campeão estadual de 2008 com a Ponte Preta diante do Palmeiras, Aranha lembrou da equipe dirigida pelo treinador Sérgio Guedes. “Aquela equipe encaixou. A gente venceu quase todos os jogos no interior e conseguiu chegar à final”, afirmou.

Perguntado sobre a repercussão da punição imposta ao Mogi Mirim pelas ofensas raciais ao volante Arouca, Aranha não quis opinar. “A Justiça tem de prevalecer em qualquer ambiente, qualquer aspecto. Se a pena foi justa ou não, prefiro não comentar, só lamentar (o fato). Melhor do que a pena ser extraordinária, seria o fato não ter ocorrido”, completou.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: