Presidente da Câmara de Santo André quer curso de formação para servidores | Diário Regional

Presidente da Câmara de Santo André quer curso de formação para servidores

25/03/2014 14:07
Print Friendly, PDF & Email

Pereira disse que está indignado com a subseção da OAB - Foto: ArquivoSANTO ANDRÉ – Presidente da Câmara de Santo André, Donizeti Pereira (PV) confirmou que estuda a possibilidade de criar uma escola de governo para os servidores do Legislativo. O vereador pretende implementar o projeto ainda este ano, já que seu mandato de presidente chega ao fim em dezembro e ele não disputará a reeleição.

A prefeitura já manteve uma escola com a mesma finalidade. Criado em 1998, na segunda gestão do prefeito Celso Daniel (PT), o Instituto de Governo e Cidadania do ABC, mais conhecido como Escola de Governo, funcionou durante dez anos.

O tema surgiu com a alta incidência de projetos inconstitucionais apresentados de forma recorrente pelos vereadores na Câmara. “Há muita dúvida do que é competência dos municípios e, dentro dos municípios, há dúvidas sobre o que é competência do Legislativo e do Executivo”, comentou o líder da bancada petista, Eduardo Leite. O público-alvo, no entanto, não são os vereadores, mas sim os servidores.

A escola é tratada nos debates internos sobre a reforma administrativa, que também pode resultar em um plano de cargos e salários, além da realização de um concurso público. A Fundação Getúlio Vargas (FGV) é cotada para a elaboração de um parecer com as necessidades.

Na Capital, a iniciativa também partiu do Legislativo. A Câmara mantém a Escola do Parlamento – aberta, inclusive, para a comunidade desde 2011. Munícipes e servidores podem se inscrever em diversos cursos de curta duração sobre finanças, planejamento público, cerimonial, teoria do processo democrático e até pós-graduação. Todos são gratuitos.

Briga

Embora não tenha levado o assunto à subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), a participação da entidade na iniciativa foi levantada como uma das possibilidades por Eduardo Leite. Questionado sobre a possível parceria, Donizeti evidenciou que o mal-estar com a OAB ainda continua. “Eu não estou chateado, estou indignado com a OAB”, disse o verde, ao reclamar por não ter sido convocado para compor mesa com autoridades em recente encontro que debateu as funções do poder Legislativo.

Recentemente, o verde também criticou o posicionamento do presidente da entidade, Fabio Picarelli, sobre a redução no número de sessões ordinárias na Câmara. O advogado, juntamente com representantes da Associação Comercial e Industrial de Santo André (Acisa), declarou-se contra a possível redução, ideia proposta por um vereador. O presidente da Câmara defendeu que o debate poderia ser mais amigável e polido.

 



2 Comentários

  • Andreense

    A verdade é que POLÍTICOS NÃO SÃO ADMINISTRADORES muito menos gestores. Administração de um município está muito além do que qualquer político esteja capacitado a fazer. Aposto que nem sabem o que é “Breakeven” do muncípio. E muito menos sabem quem foram Taylor e Fayol.

  • Andreense

    Mais um esquema para desviar dinheiro público. Ao invés de gastarem essa verba com benefícios diretos(obras) ao povo gastam para beneficiar somente uma pequena parcela. Se existe concurso público teoricamente já deveriam estar aptos! Não é????!!!

Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: