'Chorinho' no Teatro Municipal de Santo André | Diário Regional

‘Chorinho’ no Teatro Municipal de Santo André

22/03/2014 13:32
Print Friendly, PDF & Email

O espetáculo, Prêmio APCA de Melhor Autor 2007, trata da vida urbana com delicadeza, poesia e humor - Foto: DivulgaçãoDenise Fraga e Cláudia Mello trazem para o palco do Municipal de Santo André neste fim de semana, Chorinho. A peça celebra o reencontro de Denise, Fauzi Arap e Cláudia. Denise foi dirigida por Fauzi em A Quarta Estação, em 1995. Cláudia Melo foi dirigida por Fauzi em Adorável Desgraçada, em 1993. Denise e Cláudia dividiram palco e camarim em A Alma Boa de Setsuan (2008-2010) e não paravam de falar no Fauzi. O desejo de estarem juntos se concretiza agora em Chorinho. Além de autor, Fauzi Arap dividiu a direção com Marcos Loureiro (Hotel Lancaster, Delicadeza, La Musica).

O espetáculo, Prêmio APCA de Melhor Autor 2007, trata da vida urbana com delicadeza, poesia e humor. Na praça de uma grande cidade, duas vidas se entrelaçam graças aos encontros e conversas de uma solteirona aposentada (Cláudia Mello) com uma estranha moradora de rua (Denise Fraga). De um lado estão preconceitos e solidão; de outro, lucidez, loucura – e mais solidão.

Com diálogos regados de humor e emoção, a peça narra, em sete momentos, a construção da inusitada amizade entre estas mulheres aparentemente tão diferentes. Uma mora na praça por opção, não aguenta as leis sociais e a hipocrisia do mundo. A outra é uma senhora solitária que frequenta o lugar, cuida das plantas e tenta preencher o vazio dos dias com aulas de inglês e programas de televisão. Um dia é surpreendida:

– Por que a senhora faz isso?
– Isso o quê?
– Isso de ficar fingindo que eu não existo.

A partir da insistência da mendiga, as duas vão se encontrando dia após dia na praça e através do que dizem permitem que o espectador vai desenhando suas histórias, pensamentos, medos e solidões. Em diálogos simples e cheios de humor, Fauzi coloca em cena uma profunda e poética filosofia urbana.

“É impressionante o poder da palavra no teatro. Fauzi é um mestre e confia nisso como ninguém. Um banco de praça, duas atrizes e muito a dizer. Uma pra outra e pra quem as ouve. O que mais me encanta no texto é ver seu poder de fisgar o espectador pelo humor e simplicidade, dando clareza a questões filosóficas por vezes muito complexas. Nas sessões que fizemos viajando pelo Brasil (o espetáculo foi apresentado em Curitiba, BH, Florianópolis e Porto Alegre), me emocionava ver a reação da plateia ao verbo puro e simples.

A peça é um embate verbal cheio de sabedoria, humor e poesia. E encanta por isso. Fazer uma personagem tão diferente de você, mas que diz coisas que você gostaria de dizer é muito bom. E é uma delícia estar neste jogo com minha querida Cláudia Mello, atriz extraordinária. Tivemos o privilégio da batuta de Fauzi Arap, que saiu de sua toca e, ao lado de Marcos Loureiro, veio nos dirigir. Isto é um tesouro muito precioso. É colher pérolas para serem usadas não só neste trabalho, mas a cada nova empreitada que nosso maravilhoso ofício nos oferecer”, disse Denise Fraga.
“O Universo conspirou a nosso favor.

Já existia uma grande afinidade cênica e pessoal entre o Fauzi, Denise e eu. É um prazer interagir com esta atriz admirável num texto de um autor que eu sempre tenho a melhor das disposições em trabalhar com o que ele propõe. Love, love, love…”, completou Claudia Mello.

Serviço – Chorinho. Hoje (22), às 21h, e amanhã, 18 horas. Local: Teatro Municipal de Santo André, Praça IV Centenário, 01 – Centro. Mais informações: 2093-3176 / 4433-0789/ 4433-0786.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: