Para base aliada, Índio é caso 'isolado' | Diário Regional

Para base aliada, Índio é caso ‘isolado’

21/03/2014 16:31
Print Friendly

Para aliados, Índio não motivará novas assinaturas - Foto: Arquivo/DRA adesão do vereador de São Bernardo José Alves da Silva, o Índio (PR), ao requerimento que pede a instauração de Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que visa investigar a compra de uniformes es­colares pela prefeitura, na última terça-feira (18), ainda repercute entre os aliados do prefeito Luiz Marinho (PT). Seguindo a linha adotada pelo líder de governo na Câmara, José Ferreira (PT), a base aliada evita críticas à atitude do republicano, que consideram ser “isolada”.

“Respeitamos os colegas que pensam de forma diferente dos demais. Cada vereador tem a prerrogativa de tomar a atitude que quiser dentro da Câmara. Todos têm independência, o que resta aos outros é respeitar”, disse Gilberto França (PMDB).

Considerando “incompreensível” a assinatura do republicano ao pedido, Antônio Cabrera (PSB) acredita que Índio poderia ter procurado o governo para conseguir mais informações. “Se ele faz parte da bancada seria muito mais fácil para procurar informações do que, por exemplo, para a bancada de oposição. Agora, como o vereador assinou o requerimento, não dá para dar uma opinião”, disse.

Mauro Miaguti (DEM), considerou a atitude do parlamentar “natural”. “Índio tem independência para tomar a atitude que quiser. Se tem algum problema com o governo, ele deixou o recado”, comentou.

Índio sinalizou insatisfação com o tratamento dado pelo secretariado são-bernardense aos vereadores da base aliada. Relatou que os chefes das pastas não atendem as demandas levadas pela Câmara. Para José Walter Tavares (PCdoB), o único problema é a resolução das demandas.

“Eu mesmo não tenho problema para falar com os secretários, mas a questão é resolver os problemas. O que deve ser entendido é que os vereadores não arranjam problemas do nada. Qualquer demanda que levamos vem da população. Requerimentos, indicações e projetos levados ao plenário nascem de reivindicações do povo. A questão é que nem todos podem ser atendidos e isso deve ser observado”, disse o comunista.

Influência

Nenhum vereador ouvido pela reportagem acredita que a decisão do republicano influencie outros vereadores para assinar o requerimento. Todos informaram que não vão apoiar a comissão. “Não assinei a CPI porque essa questão está no Ministério Público (MP), está sendo investigada. Então não vou fazer política em cima de questão que já está sendo analisada”, afirmou Fábio Landi (PSD).

Para Cabrera, faltam mais indícios para que haja apoio a CPI. “Não vejo necessidade em fazer uma CPI, pois em minha visão não há mais o que ser investigado. Pelo que li, tanto o MP, quanto o Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) já finalizaram a investigação e não deixaram nada para ser investigado. Se houvesse alguma coisa para ser investigada, assinaria e falaria com os meus colegas para assinar também, mas não é o caso”, explicou Cabrera.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: