Mulher arrastada por carro da PM no Rio foi morta por tiro, aponta laudo | Diário Regional

Mulher arrastada por carro da PM no Rio foi morta por tiro, aponta laudo

19/03/2014 7:00
Print Friendly

RIO DE JANEIRO – Um tiro, que perfurou o coração e o pulmão, foi a causa da morte da auxiliar de serviços gerais Cláudia Silva Ferreira, 38, e não o fato de ter sido arrastada por cerca de 250 metros, pendurada no porta-malas de um carro da PM, segundo laudo divulgado ontem (18) pela Polícia Civil do Rio.

A Polícia Civil não informou se o tiro foi disparado de curta ou longa distância, nem a trajetória da bala ao entrar no corpo, o que poderia indicar a posição da vítima quando foi atingida. Cláudia foi baleada durante troca de tiros entre bandidos e PMs, que realizavam operação no Morro da Congonha, em Madureira (zona norte).

Amiga de Cláudia, a dona de casa Viviane da Silva, 38, disse que a auxiliar de serviços gerais estava sentada quando um dos policiais atirou nela. Nesse caso, a bala teria feito um trajeto de cima para baixo.
Perguntada sobre a trajetória do tiro, a assessoria da Polícia Civil informou que “o laudo é peça do inquérito e detalhes dele não serão divulgados”.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: