Kiev acusa morte de soldado; Putin diz que Crimeia 'voltou para casa' | Diário Regional

Kiev acusa morte de soldado; Putin diz que Crimeia ‘voltou para casa’

19/03/2014 9:33
Print Friendly

No dia em que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, deu aval à anexação da Crimeia, a Ucrânia acusou tropas russas de atacare uma de suas bases militares na região e matarem um soldado. Após a ação, o premiê ucraniano, Arseni Yatseniuk, disse que começou a fase militar do conflito pela região de maioria russa, que domingo votou pela junção a Moscou.

O Ministério da Defesa da Ucrânia afirmou que homens com roupas militares russas, mascarados e armados, invadiram a base, em Simferopol, capital da Crimeia. Outros dois soldados teriam ficado feridos.

A Crimeia, porém, afirmou que a base não foi invadida, mas alvejada por atiradores que estavam em um prédio em frente ao local. Os homens teriam baleado um militar ucraniano e um miliciano pró-Rússia. A polícia informou ter prendido um dos supostos atiradores.

Para o primeiro-ministro da Ucrânia, o ataque foi um “crime de guerra” cometido pela Rússia. O presidente ucraniano, Oleksander Turchinov, autorizou os soldados a usarem suas armas em legítima defesa. O governo russo não se manifestou sobre o caso.

Além da ligação histórica com a Rússia, que integrou até 1954, a Crimeia abriga a principal base militar russa no mar Negro. Tem também relevância econômica, ao sediar campos de gás.

Anexação

O ataque aconteceu horas depois que Putin ratificou a anexação da Crimeia. Em discurso no Parlamento, ele disse que corrigiu uma injustiça histórica. “Nos corações e nas mentes das pessoas, a Crimeia sempre foi uma parte inseparável da Rússia”, disse.

A sessão foi interrompida várias vezes por aplausos e gritos. Deputados russos e da Crimeia choraram com as palavras de Putin, que, em meio ao ambiente nacionalista, fez duras críticas ao Ocidente.

Para o presidente, EUA e União Europeia “passaram dos limites” ao apoiar o novo governo da Ucrânia. “Atuaram de forma grosseira, irresponsável e pouco profissional.”

Ironizou as acusações feitas pelos dois de que a Rússia violou o direito internacional ao anexar a Crimeia. “É bom que ao menos lembraram que o direito internacional existe. Antes tarde do que nunca.”

Putin lembrou a independência de Kosovo, declarada em 2008 e que tem oposição russa, além da dissolução da União Soviética, em 1991. O tom duro usado contra o Ocidente não se repetiu ao se dirigir aos ucranianos. O líder russo negou que pretenda dividir o vizinho, de quem disse querer a amizade.

“Sempre respeitamos a soberania territorial ucraniana. Não confiem em quem quer assustá-los, dizendo que vamos avançar para outras regiões (da Ucrânia)”, pontuou.

O discurso provocou novas reações do Ocidente. O presidente dos EUA, Barack Obama, convocou reunião do G7 para a semana que vem. Seu vice, Joe Biden, disse que a anexação foi roubo de terra.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: