Após dois meses, emprego com carteira volta a crescer no ABC | Diário Regional

Após dois meses, emprego com carteira volta a crescer no ABC

18/03/2014 9:55
Print Friendly

Construção civil criou 985 vagas em fevereiro, puxadas pela retomada do ritmo de lançamentos de prédios residenciais - Foto: ArquivoApós começar o ano no “vermelho”, o mercado de trabalho do ABC voltou a contratar em fevereiro, sinalizando recuperação. No mês passado, as empresas da região criaram 2.452 postos de trabalho, como resultado de 33.943 admissões e 31.491 desligamentos.

O saldo positivo interrompeu sequência de dois meses consecutivos de queda na ocupação – em janeiro e dezembro do ano passado foram fechadas 8,6 mil vagas. O resultado é o melhor para meses de fevereiro desde 2011, influenciado por contratações na construção civil e nos serviços.

Porém, no acumulado do primeiro bimestre, o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), do Ministério do Trabalho, revelou o fechamento de 275 vagas com carteira no ABC. O saldo é pior que o do mesmo período do ano passado, quando foram criados 1.638 postos de trabalho.

Em fevereiro, o saldo foi liderado pela forte expansão do emprego no setor de serviços, que registrou contratação líquida de 2.331 pessoas. O resultado interrompeu dois meses seguidos de perda de vagas e é o melhor em 36 meses. Na região metropolitana de São Paulo, onde o Caged possui dados desagregados, destacaram-se os subsetores de alojamento e alimentação e o de ensino, por motivos sazonais – o início do ciclo escolar costuma ser marcado por contratações.

A construção civil, por sua vez, criou 985 vagas em fevereiro, puxadas pela retomada do ritmo de lançamentos de prédios residenciais (prejudicado em boa parte do ano passado), segundo avaliação da Associação de Construtores, Imobiliárias e Administradores do ABC (ACIGABC).

No sentido contrário, a indústria voltou a fechar vagas em fevereiro (1.017), ainda como resultado do cenário internacional desfavorável, da perda de competitividade e queda na demanda interna. Desde outubro, a indústria registra cinco saldos negativos seguidos e, nesse período, fechou 6 mil postos. O comércio também “encolheu”, com saldo líquido negativo de 49 empregos.

Municípios

Dos sete municípios, seis abriram vagas em fevereiro – mês que não contou com o feriado de Carnaval. O pior resultado foi o de Mauá, que fechou 178 empregos com carteira, prejudicado por demissões na indústria e no comércio. No sentido contrário, os melhores resultados foram os de São Caetano, que criou 777 postos de trabalho (aumento de 0,68% no estoque de vagas), e de Santo André, com 916 (alta de 0,46%). “Esses dados nos deixam mais otimistas para 2014”, disse em nota o secretário de Emprego de Santo André, Cícero Firmino da Silva, o Martinha (PDT).

Ainda segundo o Caged, o Brasil gerou 260,8 mil empregos com carteira assinada em fevereiro, também o melhor resultado para o mês desde 2011. “Tenho certeza de que vamos continuar crescendo e melhorando a qualidade dos empregos gerados”, disse o ministro do Trabalho e Emprego, Manoel Dias, ao comentar ontem os dados nacionais.



Comente esta matéria


Atenção! O comentário aqui postado é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Diário Regional. Comentários discriminatórios ( contra raça, sexualidade, cor, crença e outros) , que violem a lei, a moral e os bons costumes poderão ser denunciados pelos internautas , removidos ou não publicados pela redação.
%d blogueiros gostam disto: